20 de ago de 2015

Naomi & Ely e a lista do não beijo • David Levithan e Rachel Cohn


Autores: David Levithan e Rachel Cohn
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501103123
Páginas: 256
Comprar
Sabe quando você vê um cara lindo, se apaixona platonicamente, e descobre que é gay assim que você vai puxar papo? Pois é, Naomi & Ely é a romantização dessa velha história sobre as nossas vidas. Naomi e Ely são melhores amigos e, para evitar brigas, eles compartilham uma lista do não beijo, pessoas que nenhum dos dois podem ficar. Porém essa lista exclui pessoas óbvias, como respectivos namorados e um e o outro. Como tudo que é proibido é mais interessante, Naomi quer beijar Ely (e namorar e casar e ter dois filhos e um cachorro e um cobertor e um filme no frio de agosto). E Ely, ah Ely, beijou o namorado de Naomi. Eta, Malhação!

Eu juro que não sei explicar pra você como funcionava a tal da expectativa nesse livro. David Levithan escreveu o maravilhoso Todo dia. Rachel Cohn não escreveu nada que eu achei maravilhoso, mas gosto da ousadia da moça nas suas decisões de enredo. Acredito, teoricamente, que a escrita dos dois autores, por A ou B, se complementam. Lembrando que: teoricamente. Na realidade, o que a gente encontra quando abre esses livros são algumas ideias novas colocadas num terreno conhecido, ou, então, grandes clichês num ambiente novo. No geral, seus livros são young adults comuns, porém sempre com algum elemento novo que gera destaque. Eles têm seu mérito por isso.

Têm seu desmérito (?) por não conseguir me cativar. 

Antes de eu criar esse blog e começar a fazer resenhas de verdade, eu li Nick & Norah: Uma noite de amor e música, primeira parceria dos autores. Nunca falei sobre o livro, mas se falasse, teria variado por horas ao comentar sobre onde está o encanto que eu não vi o fez ganhar uma adaptação para o cinema (bem meia boca. Bem como o livro). Antes eu achei que não tinha gostado de N&N por ter lido quando era bem nova, agora eu já tenho mais certeza que o motivo foi minha falta de gosto por young adult que flerta com o clichê, mas é hipster.

Eu não sei definir o que conheço por hipster, mas tenho certeza que os dois livros de Levithan e Cohn se encaixam nesse meu conceito abstrato mental. São hipsters! Parecem legais e gostáveis, quando, na verdade, são difíceis de se inserir. Eles têm alguns fatores admiráveis e que se deveria gostar muito, porém quando isso não acontece, você fica pensando que o problema está em você que não soube admirar a grandiosidade das metáforas. Para isso eu digo: hispter. Cult. Difícil de ter uma opinião 100% formada.

Você imagina, do principio, que esta é uma história sobre amizade. Naomi e Ely são tão parceiros que estabeleceram a lista para manter a harmonia acima de tudo. O que acontece, no entanto, é que você passa o livro todo os vendo separados, brigando, tristes pela ausência um do outro. O plot inicial é Naomi tendo as costas perfuradas pela traição do melhor amigo e do namorado. Por mais que ela não seja a melhor personagem, é impossível você não pegar suas dores e a vitimizar na situação. Ely, embora fosse alguém maneiro, era maneiro coisa nenhuma (!) porque olha a traição com a melhor amiga. E o namorado, também! Você está me dizendo que era para shipar esse casal de traíras? Shipa-los amigavelmente com a menina que teve o coração partido mais pelo melhor amigo, mas não apenas? COISÍSSIMA NENHUMA! NÃO SOU OBRIGADA A TOLERAR ISSO!

Não sou muito boa com histórias de perdão.

Naomi & Ely e a lista do não beijo é uma história de perdão clichêzona. O que é óbvio, embora o conjunto geral pareça algo novo. Por fim, eu não gostei dos personagens, mesmo quando queria gostar. Em compensação, gostei da narrativa, mesmo quando não queria gostar. Positivamente falando, é um livro menos meia boca que Nick e Norah. De mim, ele ganhou três felizes estrelas – é bom, mas, acima disso, eu também gosto de fingir que tenho gostos refinados e hipsters. 


3 comentários:

  1. nossa, fiquei com raiva dos personagens só pela sua resenha... e olha que você quase nem comentou sobre o namorado da Naomi
    não sei se leio. não li N & N, mas vi o filme e nem curti tanto também...
    na verdade ainda não li nenhum dos livros dos autores, então nem sei o que esperar... ;x

    ResponderExcluir
  2. Oi Joana!
    Apesar de ter dois livros do autor, ainda não li nada do David, e não conhecia a autora. O enredo parecia interessante, apesar dos clichês, mas achei, pela sua resenha, muito irritante os conflitos hahaha :p Definitivamente, não vai para minha lista.
    beijos ♥

    ResponderExcluir
  3. essa é a primeira resenha negativa que leio sobre esse livro e agora fiquei na dúvida se compro ou não :o culpa sua joana!

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!