1 de jun de 2015

Quase uma rockstar — Matthew Quick


Autor: Matthew Quick
Editora: Intrinseca
ISBN: 9788580576764
Páginas: 256
Comprar
Com a possibilidade de parecer um disco quebrado, preciso lembrar você sobre um dos meus livros favoritos: Perdão, Leonard Peacock. Você já leu? Eu já fiz uma campanha para você ler! O segundo livro de Matthew Quick é simplesmente uma das obras mais tocantes que já encarei, e também o motivo de eu querer ler Quase uma rockstar sem nem olhar para a sinopse. Vamos aprender, então, que não se pode criar expectativas altíssimas para com um autor tendo base apenas uma experiencia positiva. Não se pode.

Por motivos óbvios, eu esperava que Quase uma rockstar fosse o mesmo grau de marcante que o livro de Leonard. Não é. É um tapa na cara? Dos fortes, mas ainda assim: não como Leonard. A abordagem é completamente diferente. Enquanto Leonard Peacock sofria de depressão, tinha perdido a esperança na vida e abusava do humor negro, Amber Appleton - a protagonista da vez - é o completo oposto. A garota é a personificação da esperança. E ela tem motivos para isso? Esse é o primeiro tapa na cara.

Você é apresentado a Amber e seu fiel escudeiro, o cachorro BBB, enquanto ela dorme no ônibus escolar, cheia de roupas para não sentir frio. Sua mãe está em busca de um novo namorado, e gasta todo o pouco dinheiro que tem com cigarros e vodka. Mesmo assim, Amber tem uma fé inabalável e se sente grata pela vida, se sente grata por ter pessoas boas ao seu redor. Ela é única, especial, mas não é Leonard Peacock.

Eu comecei o livro três vezes e só fui decidir chegar ao final na última. Não prendeu, sabe? Por mais que a mensagem fosse forte, aquele otimismo todo parecia forçado. Eu queria ficar indignada com a situação da personagem, mas ela estava contente e agradecida. MOÇA, PARE, VOCÊ PODE FICAR REVOLTADA! Claro que isso iria contra a proposta de Quick, mas ela tem permissão para tal! Amber pode ficar furiosa com o mundo! Está no seu direito, é sério! Principalmente quando a vida chega com mais uma bomba, e ela continua sendo essa pessoa positiva, com fé, que gosta de ajudar o próximo... Quero um tempo para ficar irritada, ok?

Quase uma rockstar é um bom livro, porém, por ser extremamente positivo, não me convenceu ou me marcou. A protagonista passava por suas barras pesadas, e quem precisava inserir a dor na história era eu. Não, obrigada. É impossível não comparar com Perdão, Leonard Peacock, e isso joga forte contra o livro. 

Um comentário:

  1. Bah, estou na mesma posição que vc. Também adicionei esse livro na wishlist por causa de Leonard. Bom ter lido sua resenha, assim ñ vou com tanta sede pra leitura hehe

    Bjs!
    Arrastando as Alpargatas

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!