13 de mai de 2015

Uma história de amor e TOC — Corey Ann Haydu


Autora: Corey Ann Haydu
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501100580
Páginas: 320
Comprar
Na onda de tramas mais sérias, chegou ao mercado de young adults brasileiros o livro Uma história de amor e TOC, para dar uma abordagem mais jovem ao transtorno obsessivo compulsivo e fazer esclarecimentos sobre o distúrbio estereotipado e generalizado.

O que eu mais gosto desse tipo de literatura é que está clareando o que conhecemos por distúrbios mentais e nos tirando da caixinha equivocada do esteriótipo. A gente encara TOC como bipolaridade, que também é vista erroneamente. Se você muda de opinião é bipolar, se você tem álcool gel na bolsa, tem TOC. A função desses sick lit é mostrar o que vai além da informação disseminada comumente: o que é sofrer disso pelos olhos de quem tem.

Pode ser ficção, mas há uma boa pesquisa por trás. Haydu nos apresenta dois personagens principais: Bea, que é obcecada por pessoas e suas histórias e suas decisões e sua segurança; Beck, que gosta de malhar e lavar as mãos e de séries de 8. Os dois, de modos completamente distintos, sofrem do transtorno.

Eu falaria sobre a trama, o plot dos dois se encontrando e tentando um relacionamento apesar das peculiaridades, mas isso não é importante. Na verdade, o plot principal de romance é chato e cansativo. O forte da autora se firma nos personagens: quem são, o que fazem e como lidam com o cenário ao redor. Nisso, nós somos levados mais profundamente para as nuances de suas obsessões, como isso influencia seu dia a dia e seus relacionamentos. É aí que Uma história de amor e TOC se destaca, sendo muito mais sobre TOC do que sobre amor.

Porque, vamos combinar, o romance é tão mal trabalhado que a autora nem se esforçou para fazer acontecer. Duvido que ela realmente queria dar força a esse lado do enredo.

Beck é um personagem que se aproxima do que conhecemos por TOC: maníaco por limpeza, saúde, algum número. É Bea que propõe a maior saída do esteriótipo: ela usa roupa de brechó, afinal de contas. Por outro lado, ela é stalker - sim, do modo creepy. Alguma pessoa chama sua atenção e, pimba!, ela está obcecada.

Achei bastante interessante o modo como a autora aborda o tema, porém como young adult, Uma história de amor e TOC é bem mediano. Não há carisma nos personagens ou no seu romance, porém suas obsessões rendem plots chamativos e ousados. Gostaria que tivesse sido trabalhado como um todo, mas recomendo se você tiver interesse em saber mais sobre a condição.

2 comentários:

  1. não tinha lido nenhuma resenha deste livro ainda, mas que pena que a autora deu um deslize no romance do livro
    já tive toc, mas comparado à outras pessoas que eu conheço, de forma bem mais leve.
    tenho curiosidade em ler este livro para saber como uma pessoa realmente se sente, apesar de já ter uma ideia.. =/

    ResponderExcluir
  2. Estou bastante curiosa em ler esse livro, nunca li nenhum história e que algum personagem tivesse TOC, curto muito um sick lit e cada resenha que leio desse livro me deixa ainda mais interessada em conferi essa história.

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!