4 de mar de 2015

True — Erin McCarthy


True #1Autora: Erin McCarthy
Editora: Verus
ISBN: 9788576863335
Páginas: 266
Comprar
Eu gosto de new adults porque são livros fáceis. Eles não exigem de mim e eu não exijo deles. Vivemos bem. Meu gosto literário jamais será o mais refinado e estou realmente de boa com isso - não leio para ganhar conhecimentos que mudam a vida, afinal de contas. Eu leio para não compartilhar aquele tweet que diz apenas "tédio" numa tarde de domingo. Eu leio porque sei, gosto, posso. E estou nem um pouco preocupada por estar montando uma extensa coleção de histórias parecidas.

True, de Erin McCarthy, é um encontro de Playboy irresistível e As batidas perdidas do coração. Você não precisa saber muito da história (a sinopse oficial é um grande spoiller), apenas que a protagonista é Rory, ela tem 20 anos e quer ser médica legista para não precisar lidar com os vivos. Resgatando-a de uma situação complicada (síndrome da donzela em perigo: check), está Tyler, badboy tatuado com muitos - eu disse: MUITOS - problemas familiares. Eles não combinam e, ao mesmo tempo, são parecidíssimos. E têm muito para aprender com o outro.

Uma das coisas que mais gostei no livro são as discussões sobre literatura que Rory e Tyler se envolvem. Como ela é bastante racional e ele, um leitor ávido, ele banca o tutor dela em literatura, o que rende alguns comentários bastante sagazes e interessantes. Num deles, o que mais me chamou atenção, foi que Rory reclamou que os personagens de livros são idiotas por insistirem em problemas que se resolveriam em 10 minutos se houvesse comunicação. O que Tyler respondeu não tem muita importância (embora seja verdade), mas o que causou o destaque é que foi exatamente isso que Rory (a autora?) fez ao conduzir a trama.

Os problemas do casal - ou o que você acredita ser, até certo ponto - são apenas palavras que não são faladas. Cada um fica remoendo o que acha que o outro está pensando, fica esperando por ouvir a resposta da pergunta que não fez, e tudo se torna uma grande bola de neve como plot. Bola de neve de coisas não ditas. Acima de tudo, isso é irônico por conta de Rory. Logo ela, tão lógica e racional, que percebeu isso enquanto lia, faz a mesma coisa e, quando reflete a respeito, tem a brilhante decisão de continuar no mesmo passo. Miga, me ajuda a te ajudar!

O desenvolvimento do romance é muito meigo e coerente. Fui conquistada por Riley logo de cara, quando ele fez um comentário não-ortodoxo quando Rory contou que a mãe havia morrido de câncer. Foi tão simpático sem ser óbvio que me fez acreditar piamente na capacidade de escrita de McCarthy. 

Outra coisa que merece comentários são as cenas hot. A autora já escreveu livros para Julia e Sabrina, então sim, fiquei com um cadinho de preconceito (desculpa decepcionar se você achava que sou um ser humano perfeito). Mas afinal, sejamos sinceros, com essa informação você começa esperando o que? Uma melação danada, né? Palavras bregas e cenas longas. Porém não. É delicado, não se estende nada acima do devido e com a mão muito equilibrada. É notável e, embora não devesse, raro também.

Eu gosto de quando livros me fazem entrar na madrugada e não notar (mesmo que minhas olheiras no outro dia sejam bem, hum, visíveis). True foi um deles. De "só mais um capítulo... e outro", se tornou uma leitura muito ágil. Eu adorei, gostei dos personagens, comprei seu romance, suas histórias e seus dramas. Só não considero cinco estrelas por conta do final corrido, tive a impressão que tudo aconteceu no último capítulo de menos de 10 páginas. Apesar disso, True é muito bom. Só, pelamordejesus, não vá ler a contracapa antes de ter passado da página 200.

3 comentários:

  1. ah, também sou dessas que ama livros fáceis de se ler, porque, sinceramente né, eu leio pra me distrair da vida!
    eu iria amar ler lviros teoricos e qe eu aprendesse alguma coisa de útil com a mesma facilidade que eu leio meus romances ♥
    ainda bem que eu não tenho o custume de ler sinopse de livros! hahaha
    estou bem curiosa para ler este livro, apesar de todos estarem criticando este final =/

    ResponderExcluir
  2. ah, também sou dessas que ama livros fáceis de se ler, porque, sinceramente né, eu leio pra me distrair da vida!
    eu iria amar ler livros teóricos e que eu aprendesse alguma coisa de útil com a mesma facilidade que eu leio meus romances ♥
    ainda bem que eu não tenho o costume de ler sinopse de livros! hahaha
    estou bem curiosa para ler este livro, apesar de todos estarem criticando este final =/

    ResponderExcluir
  3. Adorei a sinceridade!! E bem, eu gosto de Julias e Sabrinas e acho que New Adult bebe muito na fontes delas. Mas enfim, estou lendo Playboy irresistível e estou gostado, então é bem provável que eu goste desse também!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!