18 de set de 2014

O jogo perfeito — J. Sterling

Autora: J. Sterling
Editora: Faro Editorial
ISBN: 9788562409165
Páginas: 224
Nota: 
Comprar

Ao longo dos muitos new adults que já li na vida, aprendi que esse não é um gênero que deve ser levado a sério, a ponta de faca. Ao mesmo tempo que você vai encontrar obras maravilhosas que vão quebrar seu coração e depois cola-lo de volta, você também vai se deparar com algumas histórias que mais parecem piadas do Danilo Gentili de tão forçadas. Claro que, ainda, existem os livros forçados e os ~~forçados~~, porém se você não levar a sério, vai acabar se divertindo. Em O jogo perfeito, por exemplo, eu dei foi muitas gargalhadas.

A sinopse é aquele clichêzão sem fim. Cassie é a garota comum que não se deixa encantar por Jack Carter, que eu deixo você adivinhar... Exato: O melhor jogado do time, astro do beisebol, que já saiu com todas as garotas da faculdade e não repete ficada. Então, como Cassie não o quer (e o despreza), ele se apaixona por ela. É spoiller? Não, porque um capítulo depois, ela já cedeu (para ele parar de encher o saco, aff) e estão namorando. E se você acha que correr é o principal problema desse livro, está mó enganado.

É aquela premissa com todos os lugares comuns possíveis. A autora viu um plot que conseguiu arrecadar muitos fãs de new adult, e investiu. O romance que começa com ódio (sentimento que durou menos que esmalte nas unhas quando você lava a louça), o desprezo da reles mortal pelo cara popular (que é o MAIS POPULAR DE TODOS), tudo isso. Como então eles ficam juntos logo do inicio, a autora precisa correr atrás do prejuízo e preencher as 200 páginas restantes. É aí que começa a graça.

Esse livro é muito absurdo, de verdade. Eu juro para você que estou rindo quando lembro das situações para escrever essa resenha, porque é muito absurdo mesmo. Absurdo, absurdo, absurdo de verdade. Já tinham até comentado comigo, no twitter, que o livro não tem pé nem cabeça por conta do cara ser um bacaca e fazer coisas imperdoáveis, então eu já sabia. Tenho só a concordar, com a diferença que isso pode ser realmente engraçado se você se portar como um mero observador que não está ali para julgar. 

Mentira, julguei muito. Cassie, miga, você é muito tapada, hein.

As situações que a autora coloca, sempre numa rapidez frenética que deixa os diálogos artificiais e a linha do tempo curtíssima, são o cúmulo do absurdo. Sim, vou repetir essa palavra mil vezes porque nenhum sinônimo conseguiu passar o mesmo nível de significado. Quer dizer, eu posso falar que os acontecimentos de O jogo perfeito são um disparate, insensatos, incoerentes e até uma patacoada, porém algum desses termos explica o quão absurdo é? Não, nenhunzinho.

Eu achei hilário, de verdade. Acho que a autora não tinha intenção de ser engraçada, mas foi bastante quando não conduziu sua trama com o mínimo de lógica e sensatez. O jogo perfeito não lida bem com clichês, com romance, com ódio, com casais, ou com a vida em si. Esse é apenas o primeiro volume de uma série que não vou acompanhar, por mais risadas que eu possa dar. Existe um limite de absurdo, e minha mente nem consegue viajar o suficiente para idealizar o que J. Sterling pode fazer com mais páginas em sua mão. 
Beijinhos ♥

3 comentários:

  1. não conhecia nem o livro nem a autora, e eu, apesar de AMAR histórias clichês, não sei se iria gostar desta...
    ela parece ser o cúmulo do clichê... kkkkk
    não sei se iria gostar deste. e ainda tem continuação??? :O

    ResponderExcluir
  2. Já perdi as contas de quantos comentários e resenhas eu já li sobre esse livro. Uns não gostaram e outros gostaram. Então, realmente não sei o que eu vou fazer!kkkkk Eu adoro clichês, adoro o gênero New Adult, claro, desde que seja bem escrito e tenho vários desse gênero como favoritos. Mas, esse eu vou ter que ler pra saber ( o que eu ainda não tive coragem de fazer, por causa dos comentários negativos) e ver se é tão absurdo como agora aparenta ser. Já posso dizer que eu não tenho a mínima paciência pra mocinhas tapadas que não enxergam e não fazem nada e nem pra mocinhos idiotas e galinhas ( que me falaram que esse é) então a balança já ta pendendo para o lado negativo. Mas, eu vou tentar ler o quanto antes e acabar logo com isso!kkkkk

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito de new adult e esse parece ser ótimo, apesar dessa resenha negativa, continuo doida pra ler esse livro!

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!