2 de set de 2014

As batidas perdidas do coração — Bianca Briones

Autora: Bianca Briones
Editora: Verus
ISBN: 9788576863229
Páginas: 406
Nota: 

Eita. Isso é basicamente meu modo muito eloquente e autoexplicativo para definir o que eu achei de As batidas perdidas do coração, de Bianca Briones, primeiro new adult nacional da minha estante. Não que eu já saiba o que eu achei desse livro. Não que eu tenha consciência do mundo ao meu redor depois desse livro. Não que eu tenha consciência de nada após esse livro. Eita.

Sabe que new adults são, em sua maioria, dramáticos, né? Eles tem aquele ar de novela mexicana e sempre foi isso que os deixou tão guilty pleasures para mim. Geralmente a fórmula do gênero trabalha com um problema, um trama, e o desenrolar disso aliado à romance. Se for pensar, As batidas perdidas do coração (um título muito longo, vamos combinar) segue os tais passos. Viviane e Rafael são de mundos diferentes, mas a dor do luto os aproxima como iguais. Ela acabou de perder o pai numa luta contra o câncer, ele perdeu os tios, o primo e a irmã num acidente de carro. Seu pai faleceu uns anos atrás durante um assalto. No meio dessa escuridão toda, eles se encontraram um no outro. E viveram felizes para sempre? EITA, BIANCA!

Intercalando capítulos curtos entre Viviane a Rafael, Bianca Briones conta sua história numa narrativa absurdamente simples, sem floreios, poesias ou piadas veladas. É uma escrita tão comum que me surpreendeu por demais quando eu percebi que estava arrebatada por aquele enredo. Sem perceber, a trama me conquistou de tal forma que eu nem sabia que me importava tanto com os personagens até meu coração se contrair dolorosamente em uma cena sofrida. Tem muita dor nesse livro, é o ponto de partida de tudo, e consegui sentir sem que a autora precisasse fazer metáforas bonitas.

Porque eu vou falar para você: desgraça pouca é bobagem. Eu sei que já disse isso antes em algumas resenhas, mas para esse livro, a frase atinge um nível altamente diferente. Bo-ba-gem. A jogada da autora é nunca se satisfazer com uma única tristeza: sempre pode piorar. Eu a imagino escrevendo e rindo da nossa cara, como se “Vocês acham que isso foi ruim? Espera por isso... E isso! E ISSO!!! Garanto que você não viu ESSA chegando.” Aí ela dá uma risada maquiavélica e eu jogo o livro longe novamente, só para buscá-lo um minuto depois e o ciclo recomeçar.

Analisando minha estante por alto, não consigo lembrar da última vez que encontrei o tema de Batidas Perdidas num romance do gênero. De quaisquer gênero, na verdade. Não vou citar o tabu porque eu acredito que todo mundo merece descobrir sozinho, ter a experiência de sentir seu coração se rasgando de surpresa e seus sentimentos desabando. “Ai Joana, você é uma pessoa ruim.” Não sou. Bianca é.

Os personagens principais foram muito bem trabalhados, você consegue acreditar neles e em seus sentimentos. Ainda assim, vi um grande estereotipo Malhação ao redor de Rafa e Vivi. Ela é a típica menina rica, ele é clássico bad boy de periferia. Não é nada que prejudique a leitura, apenas um alerta de clichêzão. Não que você vá se preocupar se Viviane está com a unha feita no meio desse mundo desabando. Nã, gente, nem dá tempo.

Batidas perdidas do Coração é como o Rafael. Pensei, pensei, e acho que seu protagonista é a melhor forma de definir o livro como um todo. É atraente, mas você sabe quem tem mais profundidade aí. Logo você descobre que ele vai te destruir. Pode até encontrar desculpas, dizer que não, que é exagero, mas vai estar se enganando. Vai destruir e vai machucar e vai doer. Pra cacete. E sabe a pior parte? É que você não consegue deixar de amar. Você sabe que deveria abandonar e quem é que sofre tanto assim por vontade própria? Hahaha, você.

Eita.

9 comentários:

  1. eita, 3° resenha que leio deste livro só hoje!!
    estou bem curiosa para ler ele. só vi resenhas positivas até o momento, então como não querer ler desesperadamente???
    parece ser lindo, e super o meu estilo! quero muito ;~~

    ResponderExcluir
  2. Eita!!!
    Primeiramente, parabéns pela resenha, ela definitivamente decidiu o futuro desse livro na minha estante. Logo, ele estará aqui, para ler e ser adorado.
    A capa me chamou a atenção mais ainda não havia parado para analisar nada da obra, é uma felicidade saber que os livros brasileiros estão ganhando espaço em nossos corações. E espero que possamos encontrar mais gêneros que nos façam irradiar de empolgação na leitura. Novamente, parabéns .
    Beijos :*
    Yasmim - http://miiheomundoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nossa esse livro parece ser maravilhoso, estou doida pra ler e cada resenha que vejo dele me deixa ainda mais ansiosa para conferi esse new adult nacional!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Joana!
    Tudo bem?
    Ri alto com sua resenha em vários momentos.
    Estou feliz que tenha gostado e que o livro tenha causado impacto.
    Eu juro que não escrevo rindo. hahaha
    Na verdade choro bastante com os personagens.
    Esse livro foi bem doloroso de escrever.
    Senti muito do que você sentiu lendo e gostei de saber que o texto conseguiu passar isso.
    Enfim, adorei sua resenha.
    Beijo <3

    ResponderExcluir
  5. Olá...
    Esses dias li uma resenha desse livro e acabei ficando louca pra comprar.. O duro vai ser esperar até o final do ano pq to sem dinheiro..
    Parece ser muuuito bom mesmo!!
    Forever a Bookaholic
    Curta a página do blog

    ResponderExcluir
  6. Ai Joana, vou parecer louca, mas você me fazer querer um livro como ninguém SAUHUSHAUS Fazia tanto tempo que não lia resenhas suas que terminei essa e bateu uma saudade! Faz algum sentido? SHAUHHSAUHS Mas enfim, já tá na lista de desejados!

    ResponderExcluir
  7. Eu já estava ansiosa por esse livro, mas depois dessa resenha eu definitivamente estou mega louca por ele. Mas infelizmente, eu ainda vou ter que esperar um tempinho para poder adquiri-lo, porque nesse mês eu já tenho tudo contado pra comprar uns livro que estou querendo há tempos! Mas, se Deus quiser, no mês que vem eu vou ter esse tesouro na minha estante!

    ResponderExcluir
  8. Oi Joana, gostei muito da sua resenha eu já li e concordo plenamente com a parte do sofrer e não consegui deixar de amar esse livro. Até renovei meu gosto musical, já baixei várias músias do livro devo isso a Bianca, meus pensamentos mudaram também em relação à alguns assuntos abordados no livro, espero que essa depressão pós livro passe..hahah...Não aguento mais chorar.

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!