8 de ago de 2014

Estudo independente — Joelle Charbonneau

Estudo independente — O Teste #2
Autora: Joelle Charbonneau
Editora: Unica
ISBN: 9788567028347
Páginas: 318
Nota: 
Anteriores: O Teste
Comprar

Livros introdutórios de trilogias não são feitos para se levar a sério. Não completamente, pelo menos. Você pode ler, se apegar, ficar curiosa com os ganchos soltos e tudo que está incluso no pacote, mas julgar a trilogia inteira acerca do primeiro título é o mesmo que tirar conclusões absurdamente precipitadas. Afinal, você ainda nem cruzou pela maldição do segundo livro. Toda aquela introdução tem que dar em alguma coisa, né? Só lendo para descobrir...

...E continuar lendo. Eu comentei na resenha de O teste, primeiro volume da trilogia homônima de Joelle Charbonneau, que ainda não tinha encontrado a verdadeira distopia nessa distopia. Não tinha encontrado a bomba, digo, o que vai estourar para que o enredo do livro ganhe forma. O primeiro volume só delineou o governo, aparentemente bonzinho, que peca no teste de admissão na faculdade em que morte e fracasso são sinônimos. Era esperado, então, que em Estudo Independente, a verdadeira opressão governamental ganhasse forma, os vilões ganhassem rosto e tivéssemos quem odiar por motivos X e Y. Até então, não havia nada de grandiosamente cruel acontecendo.

Não estou dizendo que matar é correto, porém no gênero presente, não é suficiente para que haja destaque. Liberar adolescentes para se matar numa competição que vai garantir o seu futuro e futuro da nação? Veja bem, estamos na era de Jogos Vorazes e Divergente, isso não é novidade. Eu esperava que nesse livro, a protagonista, Cia, descobrisse muita coisa nova e ruim. Informações que nos fizesse odiar o governo e torcer por uma revolução. Entretanto, para não dizer que Estudo independente é mais do mesmo, vamos apenas comentar que o livro é bastante fraquinho em comparação ao anterior.

Pois, desta vez, Cia já está na faculdade. Ela já passou pelo tal teste. O que restou, foi um gravador com sua voz descrevendo atrocidades em que pessoas, ditas confiáveis, haviam sujado as mãos de sangue. A autora apenas delineia novos ganchos, mas continua pisando sobre ovos. Arrisco dizer que o segundo livro introduziu mais que o primeiro, o que não é exatamente positivo. Algumas informações extras, um pano de fundo, para, quem sabe, no terceiro livro ocorrer a distopia de verdade. O que deveria estar acontecendo desde o principio.

Cia tinha se mostrado uma protagonista mais inteligente que a média nacional, você já sabe. Ela percebia coisas silenciosas, notava detalhes escondidos e tinha um nível de observação que, embora fossem visíveis para o leitor, personagens não costumam notar. Isso foi divertido até um ponto, onde tudo era novidade e parte do teste, mas não senti a mesma empolgação na continuação. A maior exposição perigosa da personagem e seus colegas é a Iniciação da faculdade, para qual foi designada ao curso de Governo, em que a garota continua vendo coisa onde não há e surpreendendo por HAVER COISA SIM, MDS! É a mesma Cia superdotada aos olhos de quem lê, que novamente ganha vantagem dos outros por ser mais esperta e gravar as lembranças do que aconteceu no Teste.

Senti uma dificuldade em Joelle em ousar. Parece que todos os elementos que baseiam a trilogia foram feitos para se encaixarem completamente, o que acaba dissonando. Não há crueldade, apenas mortes soltas que tentam incriminar alguém, mas não chocam. Uma protagonista perfeita demais, esperta demais, sagaz demais. Um romance cuja química não colou acima de tanta desconfiança.

Acredito que a trilogia ainda não está perdida, pois esse foi apenas o segundo volume e eles não costumam ser bons demais. Estudo independente deixou muito a desejar exatamente por deixar a desejar. Desejar que tivesse mortes, que fosse opressor, que tivesse um cara mau que desse vontade de jogar ácido sulfúrico e essas coisas que TEM QUE TER em distopias. Não vou abandonar, mas para o terceiro e último volume, já não vou imaginar que será um livro único e especial. Mais uma distopia. Mais uma.
Beijinhos ♥ 

2 comentários:

  1. Nunca li a serie e depois de ler a resenha me desencorajou um pouco a ler, porque sou do tipo que quer algo bom do inicio ao fim.

    Beijos,
    RayNeon | Raissa Galvão

    ResponderExcluir
  2. Eu não li o primeiro volume ainda, mas esse segundo parece arrancar nosso couro na adrenalina, no suspense e na emoção.
    Parece nos deixar vidrados em cada página. Super adorei e quero ler, claro.
    E essa capa está muito linda!

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!