12 de ago de 2014

A lista de Brett — Lori Nelson Spielman

Autora: Lori Nelson Speilman
Editora: Verus
ISBN: 9788576862390
Páginas: 364
Nota: 
Comprar

Vi muita gente se deixando enganar pela capa fofinha de A lista de Brett, pelo título bonitinho e cartela de cores claras e doces. A primeira imagem do livro remete (e muito) a um chick lit, a uma história leve com clichês e jeitinho de comédia romântica. Porém, ao ler a sinopse, posso estufar o peito para dizer que não me enganou. Desde que vi, sabia que a história iria além da meiguice e proporcionaria momentos de reflexão. Se você não sabe, não sou a maior fã de livros que me colocam pra pensar na vida, pois sou muito suscetível a ser chorosa. Contudo, A lista de Brett parou na minha estante, veio para a cabeceira da cama e, gente, como eu amei esse livro!

Mas claro, já sabia o que esperar. A história vai seguir Brett, uma mulher de 34 anos que acabou de perder a mãe para uma luta contra o câncer. Sua vida tem uma reviravolta quando, durante a leitura do testamento, sua mãe a deixa sem nada além de uma carta, que contem sua lista de desejos da infância. Como pedido póstumo, Brett teria um ano para realizar suas aspirações de 20 anos atrás, coisas pequenas e grandiosas que em nada se encaixam na sua realidade atual. Parece loucura, mas Brett pode dar uma chance. Por ordem da sua mãe, ela também está desempregada... e, né, os milhões de doletas da herança cairiam muito bem.



Vou ser bem sincera: da primeira à ultima página, minha garganta foi consumida por um bolo. Não sei se estava particularmente sentimental nos dois dias que passei ao lado do livro, mas fiquei direto com a sensação de garganta embargada e olhos mais aguados que um rio. Eita livro lindo, de verdade. O jeito com que a autora descreve os sentimentos de Brett e o modo como sua vida está confusa beira o poetismo, e se torna muito fácil se apegar pela protagonista e sua vida destruída.

Porém, em toda glória da minha delicadeza, por vezes eu tive vontade de entrar na história e dar na cara de Brett. Quem está de fora, só observando, é mais fácil ver os erros, não? E Brett está afogada em vários. O ápice do "se toca, moliér" é o relacionamento cuja palavra fracassado chega a ser um elogio. O noivo da protagonista é um dos personagens mais detestáveis de todos os tempos, e minha vontade era de ir lá bater nos dois: nele por ser O babaca, em Brett por não enxergar e dar logo um pé nesse mané. Tem muita coisa que ela não vê, mas poderia facilitar a vida, logo dá agonia no leitor e a leitura mais frenética, pois você quer logo vê-la se dando bem, sem o encosto do noivo. EU ODEIO ESSE CARA, DE VERDADE.

Então, por motivos óbvios, era função da autora dar um romance decente para a pobre Brett sofredora. Logo Lori começa a delinear personagens interessantes, interesses românticos promissores e dar nomes para fazermos combinação de shipp com Brett. Posso falar? A autora gostou demais dessa coisa de criar caras bonitos e fora da realidade que não parou. Exagerou, na verdade. É tanta gente para shipparmos com Brett que ficamos perdidos. E frustrados, pois a química que passei o livro inteiro enxergando foi pro beleléu. Claro que no meio deste IT'S RAINING MAN ALELUIA, a protagonista tinha mais era que terminar bem acompanhada, mas não foi pelo moço torci desde que respirou pela primeira vez na história. Infelizmente. Lori me surpreendeu, claro, porém eu preferiria ter acertado o casal.

É um livro sensacional, único e especial. A lista de Brett conquista o leitor com sua narrativa mágica, com seus momentos de reflexão sutilmente mesclados nas ações da protagonista, e passa aquela mensagem da Disney de sempre lutar pelos seus sonhos. Com o bolo na garganta, passei o livro todo me contendo para não derramar uma única lágrima. CLARO que não deu certo. Cada meta de Brett realizava era uma carta de sua mãe que ela recebia, e uma olhada que eu dava para o teto a fim de que as lágrimas voltassem para seu canal de origem. Chegou uma hora que não voltaram, e solucei como uma criança que caiu da bicicleta. Verdade seja dita, eu sempre vou chorar em livros que sugerem essa possibilidade. É o que eu faço.
Beijinhos ♥ 

2 comentários:

  1. ontem fui na livraria e achei um marca páginas deste livro. achei bonitinho e pensei: já vi este nome em algum lugar.
    senti vontade de procurar sobre ele por causa das cores, pois pensei que seria sim um chick lit hehe
    mas, sinceramente, amei a sua resenha. adoro tramas assim, e pela sua resenha este livro é incrível!
    tenho certeza que vou gostar... na verdade eu espero amar ele! ;~~

    ResponderExcluir
  2. Oi Joana!
    Nossa esse livro ta na minha listinha para comprar e ler faz tempos, não vi ainda nenhuma resenha negativa!
    Adorei a sua e só reforçou meu desejo por este livro rsrsrs!
    Bjos!

    www.leituravipblog.com

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!