1 de jun de 2014

Os três — Sarah Lotz


Autora: Sarah Lotz
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580412697
Páginas: 400
Nota: 
Comprar

Eu adoro livros com tramas bizarras, é um dos meus guilty pleasures literários. Eu passo longe de filme de terror, nunca tive coragem de ver a abertura de American Horror Story, mas quando você surge com um livro com sinopse macabra, eu já quero tê-lo na lista. Não sei se isso faz de mim uma pessoa estranha, porém é o que acontece. Enquanto eu escrevia esse primeiro parágrafo, surgiu no canto da tela um aviso sobre um e-book de terror que será uma das minhas próximas leituras. Eu digo: não tenho juízo.


Não existe outra palavra para descrever a trama de Os três que não, instigante. Imagine que, num dia qualquer como hoje, quatro aviões caiam em lugares diversos do mundo, com um pequeno intervalo de tempo entre eles. É uma devastação, e a quinta feira negra, como ficou conhecida, já soma 1000 mortos. Não havia como alguém sobreviver, porém três crianças saíram ilesas. Outra passageira, uma mulher de 51 anos, viveu apenas o suficiente para começar uma mensagem alertando sobre o menino. O menino. Pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele... Puf, morreu.

Com essa sinopse, sua mente já começa a divagar em mil e uma teorias de conspiração. Você lembra do 11 de setembro e depois faz uma lembrança ao menino Damien, de A profecia. São tantos rumos que a história pode tomar que você se empolga só com a ideia, sem nem fazer muito caso da execução. Pelo menos, sem fazer muito caso quando você está com o livro ali na estante, parado e esperando, quando tudo que você tem é a ideia de que este é um livro ótimo.

Onde quero chegar? É que esse livro não é o que eu esperava. Eu imaginava, de Os Três, um enredo excepcional do que se tornou o mundo após a queda dos quatro aviões e das três crianças sobreviventes. Poderia envolver intriga política ou religiosa ou intriga política e religiosa, eu não sei, mas seria polêmico. E envolvente. E original. O que eu encontrei? Um livro sobre outro livro.

Quase 90% das páginas de Os Três se resume numa coleta de depoimentos sobre pessoas que tenham qualquer mínimo envolvimento com o acontecimento. Espeth Martins, a autora do livro que é narrado dentro de Os três, fez entrevistas exclusivas com pode ter algo a dizer sobre o acidente e os sobreviventes, para fazer seu leitor pensar e criar as próprias teorias. Mas veja bem, cara Espeth e cara Sarah, eu quero que vocês me deem teorias para avaliar. Quero uma trama concisa, fatos em terceira pessoas e uma coisa realmente amarrada. Eu tinha uma imagem completamente diferente do livro antes de ler, e acabou que as expectativas eram mais altas do que deveriam.

Uma pessoa me perguntou no instagram se esse livro é bom, e respondi o quão ruim poderia ser uma trama com essa sinopse. Não é ruim. É um livro muito, muito bom. A atmosfera é tensa, misteriosa, dá uma vontade insana de pular para o final e descobrir logo a explicação. É totalmente diferente do que eu esperava, e talvez por isso não tenha sido "OMG!", mas não tira o mérito da autora de ter tido uma ideia ousada. Se está decidindo se vai ler, você precisa pesar que esse livro sustenta todo um feeling sombrio e misterioso, ao mesmo tempo que a trama fica apenas dando voltas e voltas. Você vai passar 400 páginas eletrizado, sem conseguir piscar, mas vai fechar o livro e pensar "é só isso mesmo?". Depende de você dizer se isso vale ou não a pena.
Beijinhos ♥

4 comentários:

  1. Oi, Joana!
    Esta é a primeira resenha que leio deste livro. E gostaria de parabenizá-la pela sinceridade!
    É um tema que atrai bastante. Mas, para um livro aparentemente intenso, terminar tão mais ou menos como você descreveu, é de se considerar, não é mesmo?

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oie, td bom?

    Agora pouco li uma resenha sobre esse livro, só que a outra pessoa gostou dessa "história dentro da história". Acho que depende de seus gostos né?
    Amei essa sinopse haha se vc é esquisita, eu tb sou. Adoro sinopses assim :D

    Beijão!
    Arrastando as Alpargatas

    ResponderExcluir
  3. eu achava que eu era estranha por isso: odeio filme de terror, tenho pavor! mas se o livro tem algo de horripilante, eu quero ler! hahaha
    a trama dele parece ser interessante, mas acho que não irá me agradar tanto :S
    que vontade de matar essa véia ai que morreu sem terminar de falar :@

    ResponderExcluir
  4. Eu amo filme de terror e livros também ,não tem diferença pra mim, gosto dos dois.
    Este livro passa uma imagem de ser assustador, mas é uma pena que deixe um pouco a desejar, mas como vc diz que ele ainda vale a pena ser lido, acredito que vou dar uma chance a ele, pretendo ler, pode ser que eu goste..tenho medo de livros sem final ou que deixe aberto, não gosto disso, e geralmente livros assim vão pra minha lista negra rs.
    beijos.

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!