10 de mar de 2014

Um perfeito cavalheiro — Julia Quinn

Um perfeito cavalheiro — Os Bridgertons #3
Sem spoillers dos anteriores
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580412383
Páginas: 304
Nota: 
Livros anteriores: O duque e eu, O visconde que me amava
Comprar

E por meio desta eu declaro que minha autora favorita de romances históricos é Julia Quinn. Já li mais de um livro de várias autoras e a única que nunca me decepcionou foi Quinn - cujo trocadilho com Queen não é uma mera coincidência. Seu primeiro livro foi incrível, todos os outros que se seguiram também não foram menos que isso. Suas obras são tão certeiras que podem ser marcadas como favoritas antes mesmo de se ler a sinopse ou abrir a primeira página. Quero iniciar uma campanha para que seus livros sejam lançados todos os meses, pois quatro por ano é muito pouco pra tanto amor!

Para o terceiro volume da maravilhosa série Os Bridgertons, a autora resolve fazer uma releitura da Cinderella. Não, não basta serem livros sensacionais sobre o século 19, dessa vez ela pegou um dos melhores contos de fadas para contextualizar. SIIIIIM, É AMOR PURO! Somos apresentados a Sophie, filha bastarda de um conde, criada como pupila até a morte do pai. Quando isso acontece, ela passa a ser tratada como criada pela madrasta e as duas irmãs emprestadas, não tendo nem migalhas do que seria seu por direito se fosse legitimada, como frequentar bailes da nobreza e conhecer cavalheiros ricos. Isso só é possível durante uma noite que, com a ajuda dos outros empregados, ela entra de penetra no baile de máscara dos Bridgertons e acaba chamando atenção do solteiro mais velho, Benedict.

A história se desenrola mesmo três anos depois desse encontro, quando Sophie já foi expulsa da casa da madrasta e trabalha como criada no interior da Inglaterra. Benedict, por sua vez, continua solteiro e apaixonado pela moça de prateado que nunca soube o nome. Não preciso nem falar mais, certo? A autora sabe desenvolver a trama como ninguém, trabalhando o relacionamento de Sophie e Benedict muito mais do que desejo incontrolável e tensão sexual que se vê aos montes nos livros do gênero. Existe algo mais entre eles, e isso você percebe nos diálogos ou numa simples troca de olhares. 

A autora se manteve bem fiel à história da Cinderela, mas conseguiu adaptar tudo para o mundo dos lordes, duques e criadas do início de 1800. Naquela época, um relacionamento entre um cavalheiro (mesmo sem títulos como Benedict) e uma criada era impossível, e aí entram todos os preceitos da época, como os paradigmas da sociedade e a dificuldade de ser uma bastarda. Nesse momento quero ressaltar a diferença que a maratona de Downton Abbey fez na minha vida. Esse foi o primeiro histórico que li depois de assistir o seriado britânico que fala sobre isso, e minha nossa, parece que a hierarquia social do livro fica muito mais organizada na mente, assim como a Londres do passado. É o mesmo universo, só que com uma visão muito mais clara sobre o que é certo e errado. O que eu digo é: assista Downton, leia Julia Quinn, nessa ordem. São dois entretenimentos tão sensacionais que deveriam se abraçar. E você não deveria ignorar nenhum deles, falo sério.

Se eu precisar responder qual meu romance histórico favorito, a mente vai entrar em parafuso e só o nome de Julia Quinn vai brilhar como um letreiro gigante. É impossível escolher uma favorito entre os três já lançados no Brasil, mas só o que dá para dizer é que são perfeitos sem tirar ou colocar. Cinco estrelas completíssimas! O casal é incrível, os personagens são inteligentes, o cenário é maravilhoso. Não tem nada que pode dar errado nesses livros, e o coraçãozinho de favorito está lá marcado como bem deveras.
Beijinhos ♥

3 comentários:

  1. Eu simplesmente amo livros de época, estou louca por essa série, mas ainda não tive a oportunidade de ler.
    Já ouvi falar muito da escrita da Julia e eu amo autores que sabem fazer um romance com uma pitada de humor sem se transformar em algo forçado... Uma amiga minha leu e me falou um pouco sobre ele eu simplesmente cai apaixonada por esse livro sem nem ao menos ter lido uma palavra se quer dele.
    Eu amo histórias de mocinhas que são maltratadas pela madrasta e no final acabam encontrando seu príncipe encantado é tão perfeito *suspira*

    worldbehindmywall.fanzoom.net

    ResponderExcluir
  2. ainda não li nenhum dos livros da autora, e também não tinha lido nenhuma resenha deste livro ai, mas fiquei curiosa por ser estilo Cinderela mesmo! *-*
    parece ser ótimo, e se você gostou tanto assim, acho que vou gostar também, porque nossos gostos são meio parecidos né?! hahaha

    ResponderExcluir
  3. Oi Flor! Te indiquei pra mais uma tag lá no blog!
    Vem cá conferir ;)
    Crescendo em Flor

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!