19 de set de 2013

O resultado óbvio de juntar Sandra Bullock e Melissa McCarthy em As bem armadas!

Existem várias misturas óbvias no mundo. Vamos lá: cinema e pipoca, vida e café, Florence and the Machine e coral, comédia e policiais (para mais: Adriana Calcanhotto tem uma música que você já deve conhecer)... De qualquer modo, meu ponto é que sempre existem fórmulas usadas e abusadas em filmes, que precisam se reinventar ou ter um forte item original para se destacar no meio. Filmes assim são muito consumidos, o público gosta e assiste na busca de elementos garantidos. O diferencial quase sempre vem no elenco, o jeito mais fácil e rápido de usar clichê e ainda ter algo especial. É isso que faz de As bem armadas, filme que estreia amanhã no Brasil, um sucesso de bilheterias na gringa. Podemos colocar Sandra Bullock e Melissa McCarthy na lista de misturas óbvias ali acima?
É um plot pronto: duas pessoas com personalidades completamente opostas, que não dariam certo em nada, precisam trabalhar juntas num caso policial. Ashburn, a personagem de Sandra Bullock, é uma conceituada agente do FBI que não gosta de uma caneta fora do lugar e é complicadíssima de se trabalhar junto ou simplesmente conviver. Mullins, interpretada por Melissa McCarthy, é o completo inverso: uma policial de Boston que preza pela bagunça e fala palavrão a cada 5 coisas que diz. Obrigadas a trabalhar numa missão contra um grande traficante da cidade, elas precisam lidar com as diferenças e fazer os métodos incompatíveis de trabalho se tornarem compatíveis - um desafio mais complicado que o tráfico em si.
Os personagens são estereotipados, as conversas são - até certo momento - programadas e esperadas. Não é algo robótico que não passa credibilidade (afinal estamos falando de Bullock e McCarthy, uma atriz consagrada e outra estrela em ascensão), porém o roteiro não se pode ser chamado de inovador. Mesmo assim, o diretor soube usar o que tinha de melhor para oferecer: a dupla protagonista, e o que temos é uma hora e cinquenta e sete minutos de muita química e entrosamento. Ashburn e Mullins realmente parecem parceiras de crime (ou de combate ao crime?) e mesmo que todas as piadas sejam premeditadas, ainda fazer rir aqui e ali. 

O objetivo claro do filme é fazer comédia, por mais que o título nacional sugira algo perto da ação. São visíveis as escolhas do diretor para mostrar sua decisão na forma de abordar a história. As cenas de ação, que mostram o lado mais criminal do trabalho de Ashburn e Mullins, são rápidas, passageiras, não ágeis o suficiente para fazer o espectador se aproximar da tela e dar pulos a cada perseguição ou tiroteio (nos poucos que tem, aliás). Já o lado mais cômico, as situações feitas pra arrancar risadas, são estendidas, frequentes. As bem armadas puxa até para um lado mais drama familiar, embora apresentado de uma forma divertida (e com personagens estereotipados), mas que dão um quê sentimental pra não ficar só isso por aquilo.
Assim como um livro se faz valer por seus personagens, um filme (ou série) precisa do mesmo empenho por parte de seu elenco. É por isso que As bem armadas se destacou tanto em 2013, mesmo com sua receita pronta e prescrita. Não inova no gênero, está longe de entrar na lista de filmes que serão lembrados por anos (como Miss Simpatia, da própria Bullock), mas serve como duas horas bem proveitosas. É uma dupla divertida num filme divertido, e é tudo que se pode esperar do gênero. Aliás, boatos que vai ganhar uma continuação. Não acho que a história seja tudo isso pra levar outras duas horas, mas a química das atrizes tem por onde explorar.
Beijinhos ♥

4 comentários:

  1. Eu fiquei curiosíssima pra assistir depois que vi o trailer!!
    Parece mega divertido e me lembrou de Miss Simpatia... Sem contar que adoro filme 'policial' e se tiver comedia... Enfim, uma formula feita pra agradar mesmo!
    Vou tentar ir ao cinema assistir!

    bjs

    ResponderExcluir
  2. estou doooooida para ver este filme!!!
    parece ser divertido demaaaaais! hahaha

    ResponderExcluir
  3. Nem sabia da existência do filme, mas sinceramente, não curti a premissa. Na verdade nem gosto muito do gênero, por isso não me esforço para achar algo assim interessante. rsrs
    bjs

    ResponderExcluir
  4. É interessante, apesar de previsível. Mas tem essa coisa de tentar mudar e se dar mal, por isso vem sempre essa penca de filmes com a mesma coisa de sempre. Mas se o proposito é entreter, funciona..
    Só que eu não vejo nem tão cedo =/

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!