10 de set de 2013

Juntos pelo acaso na fórmula batida que a gente adora!

Quando você está atrás de um gênero específico é mais fácil procurar na filmografia de um ator do que em listas do IMDb. É, de certa forma, mais garantido. Você está indo atrás de um velho conhecido que faz ~quase~ sempre o mesmo estilo de produção, o que é algo muito bom quando paciência para filmes não é algo que você tem de sobra. Arriscar com alguém novo que pode não ter carisma, que pode não passar emoção, que certamente dará sono... Não, obrigada. Por via das dúvidas, vamos juntar Katherine Heigl, Josh Duhamel e pegar um pote de sorvete que essa é comédia romântica garantida.

Então simbora cair de cabeça no clichê já que é disso que o gênero trata. Em Juntos pelo acaso (2010), a melhor amiga de Holly, Alison, casa com o melhor amigo de Messer, Peter. Só que um encontro as escuras entre os dois dá completamente errado, e  ambos mal se suportam depois disso. É uma triste ironia da vida que eles precisariam, alguns anos depois, criar Sophie, a filha de Alison e Peter, mortos num acidente de carro. Logo a vida de Holly e Messer muda de direção, os planos ganham alguns poréns e o futuro milimetricamente planejado não pode ser mantido.
A jogada da comédia romântica é que ela não exige muito de ninguém: atores, roteiristas ou quem assiste. Você não dá o play esperando um vencedor do Oscar e não fica decepcionado por não ser surpreendido. É como eu disse: uma garantia de passatempo e nada além disso. Em Juntos pelo acaso, tudo é como deveria ser. Quando o tempo avança no inicio e vemos Holly e Messer convivendo com os amigos mesmo depois do encontro fracassado (que termina com o pedido de nunca mais se verem), é bem previsível o rumo que as coisas tomariam, o modo como eles seriam obrigados a conviver e ainda ter uma criança no meio. É tudo pronto: o drama, a comédia, o romance e a clichê cena de aeroporto que toda comédia romântica que se preze deve ter. E não tem, por lei, como ficar incomodado por isso. O resultado nada mais é do que a soma de todos os elementos extremamente previsíveis que foram jogados no liquidificador no inicio da história. Os mesmos elementos que ninguém exigiu nada lá no inicio do parágrafo.
Não precisa de grandes declarações de amor para que o público fique cativado e solte suspiros. Na verdade, poderia ser o filme de ação mais violento da história do cinema que, se mantivesse três pessoinhas do cast, conseguiria tocar até os mais duros dos corações: as trigêmeas Alexis, Brynn e Brooke Clagget, interpretes de Sophie. São tão excessivamente meigas e doces que conquistam sorrisos bobos com facilidade. É impossível não se emocionar na cena em que Holly e Messer encontram o bebê logo depois da morte dos pais, ou então quando Sophie fala mamã pela primeira vez.
Não tem risadas na certa, não vou prometer que você vai chorar e também não digo que esse é um filme que passa automaticamente pro seu hall de favoritos. Juntos pelo acaso é uma história clássica, sob medida, com atores consagrados em clichês e química suficiente pra conseguir credibilidade. É perfeito para tardes de domingo, para um pote de sorvete ou se você apenas adora ver crianças sendo fofas além da conta. Eu adorei mais do que deveria, mas leve em consideração que eu amo qualquer filme com Josh Duhamel. Provavelmente eu gostaria até de Enterrado vivo se ele estivesse no papel principal.
Beijinhos ♥

8 comentários:

  1. Eu sempre fiquei bem na dúvida se via esse filme ou não rs
    Mas quem sabe um dia..


    Beijos.
    http://tamigarotaindecisa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Não sei se faz muito meu gênero de filme, mas vale a tentativa pelo que você falou :3
    Isabela

    ResponderExcluir
  3. ainda não assisti este filme, mas parece ser divertidinho :P
    vou colocar na minha lista para ver logo :D

    ResponderExcluir
  4. Eu amei o filme, adoro essas formulas batidas bem típico "Sessão da tarde", mas que diverte com um romance junto. Adoro!

    ResponderExcluir
  5. Eu gostei deste filme! É totalmente clichê mesmo, mas daquele tipo que todo mundo gosta. Aquela velha história do romance improvável e com final feliz e fofo! rs
    Sempre procuro na filmografia dos atores, realmente eles tendem a seguir o mesmo estilo.
    bjs

    ResponderExcluir
  6. É fofo e divertido e tudo mais, mas esse só vejo por acaso mesmo, não é desses filmes que morro pirando pra ver. É normal...
    Gosto dos atores, no entanto, e talvez visse por causa deles.

    ResponderExcluir
  7. Eu assisti esse filme por causa do Josh Duhamel, e Josh Duhamel eu tive. Ta ótimo, acabou, ja podemos ir pra casa (???). Faço minhas as suas palavras. Tem dias que um filme "tanto faz" é exatamente o que a gente precisa, e Juntos Pelo Acaso é um ótimo filme "tanto faz".

    ResponderExcluir
  8. Ah é clichê, mas é legal, rsrsr.
    Gostei do filme, do desenrolar da trama, =D

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!