19 de jun de 2013

Uma curva na estrada por Nicholas Sparks

A vida do subxerife Miles Ryan parecia ter chegado ao fim no dia em que sua esposa morreu. Missy tinha sido seu primeiro amor, a namorada de escola que se tornara a companheira de todos os momentos, a mulher sensual que se mostrara uma mãe carinhosa. Uma noite Missy saiu para correr e não voltou. Tinha sido atropelada numa rua perto de casa. As investigações da polícia nada revelaram. Para Miles, esse fato é duplamente doloroso: além de enfrentar o sofrimento de perder a esposa, ele se culpa por não ter descoberto o motorista que a atropelou e fugiu sem prestar socorro. Dois anos depois, ele ainda anseia levar o criminoso à justiça. É quando conhece Sarah Andrews. Professora de seu filho, Jonah, ela se mudou de Baltimore para New Bern na expectativa de refazer sua vida após o divórcio. Sarah logo percebe a tristeza nos olhos do aluno e, em seguida, nos do pai dele. Sarah e Miles começam a se aproximar e, em pouco tempo, estão rindo juntos e apaixonados. Mas nenhum dos dois tem ideia de que um segredo os une e os obrigará a tomar uma decisão difícil, que pode mudar suas vidas para sempre. Nesta obra, Nicholas Sparks escreve com incrível intensidade sobre as difíceis reviravoltas da vida e sua incomparável doçura. Um livro sobre as imperfeições do ser humano, os erros que todos cometemos e a alegria que experimentamos quando nos permitimos amar. 

Autor: Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580411157
Páginas: 304
Nota: 

A gente vive acusando Nicholas Sparks de plagiar a si mesmo, e depois de tantas pessoas falando a mesma coisa - e fazendo trocadilhos infames que adotarei -, ele resolveu mudar um pouco para Uma curva na estrada. Ao invés de romance por romance, dessa vez ele adotou uma abordagem mais policial, com crime e tudo. Só que existe uma razão para o escritor repetir sua fórmula milionária tantas e tantas vezes e continuar fazendo sucesso: ele não se sustenta além disso. Ele escreve romance com morte, e não morte com romance.

O protagonista é Miles, um subxerife que perdeu a mulher num acidente de carro há dois anos. Por todo esse tempo, ele nunca conseguiu descobrir quem estava dirigindo o carro que atropelou Missy, e fez disso a grande missão de sua vida. O dossiê que reuniu está do lado da cama para lembrá-lo todo dia do seu fracasso em encontrar o assassino e, de alguma forma, vingá-lo. E então, para surpresa geral da nação que não esperava isso, Miles conhece Sarah, a professora do seu filho, e os dois se apaixonam. 

Vamos dividir Uma curva na estrada em dois livros. O primeiro deles merce quatro estrelas e apresenta os personagens, o convívio de Miles e seu filho, Jonah (o nome lembra alguém para você? POIS É!), além de fazer o casal principal se conhecer e desenvolver um relacionamento. Achei que o romance surgiu muito rápido. Num minuto, Miles está remoendo a morte da mulher, no outro não consegue parar de pensar na professora de seu filho. Sarah também não fica para trás. Num dia está chorando porque descobriu que o ex marido vai casar novamente, no outro fica contando os minutos para rever Miles. Teve química, mas foi pouco aprofundada. O autor usou muito da artimanha do "semanas se passaram" pra evoluir o casal, mas a gente não acompanha. Ah, uma coisa que quero ressaltar. Não estou julgando, mas... Quem, em sã consciência, sai num ENCONTRO pela PRIMEIRA vez, e o PRIMEIRO assunto que fala é sobre a MÃE?Não sobre o tempo ou a comida do restaurante, mas sobre a mãe. OI? OI? OI? (leia ritmado pra ficar mais legal).

Já a segunda metade da história merece duas estrelas e dá proporções muito grandes para o lado policial, para a necessidade de Miles em descobrir o motorista do carro que matou Missy. O livro se perdeu aí, não saiu disso e ficou bem chato de ler. O personagem ficou muito obcecado só com aquele assunto, passou a ignorar tudo ao seu redor, e nem dá pra dizer que é a mesma pessoa no início da história. Aquela veia cômica que o autor tem trabalhado em seus últimos livros sumiu completamente (antes tinha dado o ar da graça em três tiradas de Jonah), e vamos e convenhamos, Nicholas Sparks é previsível. Muito. O assassino tem sua parte na narrativa, com direito à alguns capítulos em primeira pessoa intercalados com a visão de Miles e Sarah, e não precisa de muitas "aparições" para você descobrir quem foi. E o modo do Sparks em solucionar tudo é tão... Sparks. Consegue me entender?

Li mais de dez livros do autor e ainda não tenho uma opinião formada sobre ele. O problema é que Nicholas Sparks copia as próprias histórias e tá ok, mas quando tenta inovar acaba no oito ou oitenta. Contudo, o blog é meu e vou abrir uma exceção para Uma curva na estrada: esse está no 29. Não é o pior livro do autor, está léguas de distância de ser o melhor. Faltou romancear mesmo, faltou inovar no clichê e deixar clichê o que ele tentou inovar. Talvez se fosse o contrário, eu estaria reclamando também, é difícil dizer. Minha conclusão é: quer ler Sparks? Vá para O melhor de mim, A última música, A escolha e O casamento.
Beijinhos ♥

8 comentários:

  1. bom, sou fã do Nicholas, então sou meio suspeita em falar alguma coisa né...
    mas tbm achei que o romance dos dois aconteceu muito rápido... fazer o que né?
    não lembro de ter lido sua resenha de O Melhor de Mim, mas vou ler agora hahaha
    comecei a ler ele mas acabei abandonando nas primeiras páginas :(

    ResponderExcluir
  2. Eu só li dois do Nicholas e ainda não sei se gosto dele ou não!
    No momento não leria esse livro, não estou muito no clima para os livros dele....

    ResponderExcluir
  3. Nuooossa quanto tempo que eu não comento :O

    Nicholas Sparks é para mim o tipo de autor que vc nem ama nem odeia. Nem gosta nem desgosta. Não da pra formar muita opinião pq tudo o que eu vi dele foi muito igual, então não tem com o que comparar.

    Eu sempre fico meio pé atrás quando se trata de gastar meu rico dinheirinho em um livro do cara porque sempre acho que vou me arrepender, porque com exceção a A Ultima Música, todos os outros cinco ou seis livros que eu li do cara foram, no mínimo, apáticos. E apesar disso eu ainda tenho muita curiosidade sobre o que ele trás de novo (ou nem tão novo assim) pros novos livros dele.

    Sei lá.

    ResponderExcluir
  4. Nuooossa quanto tempo que eu não comento :O

    Nicholas Sparks é para mim o tipo de autor que vc nem ama nem odeia. Nem gosta nem desgosta. Não da pra formar muita opinião pq tudo o que eu vi dele foi muito igual, então não tem com o que comparar.

    Eu sempre fico meio pé atrás quando se trata de gastar meu rico dinheirinho em um livro do cara porque sempre acho que vou me arrepender, porque com exceção a A Ultima Música, todos os outros cinco ou seis livros que eu li do cara foram, no mínimo, apáticos. E apesar disso eu ainda tenho muita curiosidade sobre o que ele trás de novo (ou nem tão novo assim) pros novos livros dele.

    Sei lá.

    ResponderExcluir
  5. sou fã do Nicholas, mas algumas obras dele me deixa com o pé atrás, mas sempre compro os livros dele, mesmo que fiquem um pouco de tempo juntando pó na estante ;s aaaoiapia

    ResponderExcluir
  6. Putz, foi um dos que mais gostei dele quando li! Caramba....é essa coisa da história melosa, com cidade pequena e amor, eu amo e não tem como não gostar. Faz parte da minha vida, morei tempos em cidades pequenas onde nem dengue tinha de tão parada xD
    Aí quando vejo umas histórias assim é amor e amor e amor pelo livro. Mas sou fã dele, então não tem livro do autor que ache ruim. Tem de ser meloso demais pra gostar, se identificar com o autor.

    ResponderExcluir
  7. Eu adoro o Nicholas e não me importo muito com os clichês. Isto porque ele consegue escrever histórias cativantes e envolventes, assim como personagens bem "reais". Talvez a quantidade de sofrimento nas obras seja um pouco exagerado, mas é melhor do que tudo sempre acabar bem. Afinal, a vida não é assim.
    Estou doida para ler Uma Curva na Estrada, é um dos próximos na minha lista. E, sinceramente, espero gostar muito. Estou com expectativas boas, apesar dos pesares. rs
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Depois de ler Um Amor para Recordar, A última música e O diário de uma paixão virei fã da escrita do Nicholas. Acho que o segredo é não ler os livros dele um após o outro. Gostei da sinopse e de resenhas que li de Uma curva na estrada e pretendo ler o livro.

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!