24 de jun de 2013

Louca para casar por Madeleine Wickham

Milly está a quatro dias de um casamento digno de contos de fada com Simon, um jovem rico por quem é perdidamente apaixonada. É a cerimônia mais aguardada do ano pela alta sociedade, mas um detalhe pode pôr tudo a perder. Dez anos antes, Milly se casou com um amigo americano gay para que ele vivesse na Inglaterra com o parceiro, mas logo ambos perderam o contato e nunca se divorciaram. Tudo permaneceria em segredo se não fosse a chegada de Alexander, o fotógrafo, que por acaso também presenciou a primeira união. Agora ela terá que correr contra o tempo para encontrar o “marido” e obter o divórcio antes que todos descubram que a noiva, na verdade, já é casada.

Autora: Madeleine Wickham
Editora: Record
ISBN: 9788501094032
Páginas: 348
Nota: 

Até hoje não superei que Sophie Kinsella é um pseudônimo. Imagino que você já saiba disso, né? Que a autora mais engraçada do século, na verdade, nem existe. Que toda vez que você se declarou fã dessa pessoa, estava dizendo que gostava de um nome, não do escritor em si. E, pfvr, me deixem ser dramática a respeito. Então veio a descoberta e Madeleine Wickham chegou ao mercado editorial brasileiro carregando a label de ser Sophie Kinsella. Em todos os casos de autores-pseudônimos que "conheci", existia uma influência fortíssima e não dava para diferenciar o estilo de escrita. É o que me faz acreditar que não, Sophie Kinsella não é Madeleine Wickham. Talvez um alter-ego, no máximo. Mas a mesma pessoa com a mesma personalidade? Er... Nope!

A protagonista é Milly, que está a quatro dias de subir no altar e se tornar a Sra. Simon Pinacle, um dos maiores herdeiros da Inglaterra. Isso é o sonho da vida da sua mãe, e mesmo na confusão dos preparativos finais, está tudo as mil maravilhosa. Quer dizer... Estava, até o fotografo do casamento chegar e reconhecer Milly de uma parte enterrada de sua vida: o primeiro casamento aos 18 anos, para ajudar um casal de amigos gays na faculdade. Ninguém sabe que ela casou. Ninguém sabe que ela continua casada. Mas agora a verdade pode vir a tona na véspera do grande dia, e Milly está cada vez mais desesperada.

A sinopse tem cara de Kinsella, mas já para por aí. Se fosse um chick lit, a abertura pra comédia seria enorme e tenho certeza que choraria de rir. Entretanto esse é um romance em sua forma mais básica, focando nos casais e nesse desenvolvimento. E em dois livros lidos, deu pra reparar que Madeleine gosta de mexer com várias duplas ao mesmo tempo. Além de Milly e Simon, tem os pais de Milly, Olivia e James, os amigos que ela ajudou, Rupert e Allan (e também a esposa de Rupert), e mais outro que seria spoiller, mas que também são jogados na trama. E, surpreendentemente, não é confuso. A autora sabe muito bem conduzir os acontecimentos e não pesar a mão com ninguém. É cheio de drama e confusão ao ponto de ser divertido (porque somos meros observadores, claro), porém me fez chorar em certas ocasiões. Louca para casar tem uma carga emocional - por um dos casais - que o título bobinho com capa cor-de-rosa está longe de revelar.

Então vamos lá: eu não gostei de Milly. Achei insegura demais, confusa demais. Simon também é um grande hipócrita e não me conquistou. Deixo espaço para declarar amor por Rupert e Allan, aqueles lindos que foram meus favoritos na história inteira, e Harry, o pai de Simon, um magnata que passou a história inteira sendo pintado como insensível pelo filho, mas que ganhou minha atenção logo de inicio. Os personagens são bastante complexos, e considero isso um dos pontos mais e mais importantes. Por todos os motivos citados no parágrafo anterior, o "elenco" precisava ter profundidade, precisava carregar as situações nas costas. Mesmo não gostando de Milly, de Simon e de Olivia, reconheço que eles conseguiam manter os plots, e o drama ficou convincente para todos os personagens. Os mil quatrocentos e vinte e sete vírgula oito personagens.

Serviu para desprender completamente as imagens de Madeleine Wickham e Sophie Kinsella que tinha na minha cabeça. São pessoas completamente diferentes e preciso mais do que alguns documentos para me convencer. Enfim, gostei bastante de Louca para casar, me surpreendeu mesmo - pelos mais variados motivos. A narrativa em terceira pessoa é muito boa de ler, as pontas são bem amarradas e só tenho a me queixar da finalização: foi muito corrida e um tanto incompleta. Claro que você tem uma visão essencial do que acontece com os personagens, mas a cena que passei meio livro esperando, vai ficar na minha cabeça por todo sempre. No mais, não se engane pela capa meiga, pela sinopse engraçada. Louca para casar é muito, muito mais que isso.
Beijinhos ♥

5 comentários:

  1. A capa e a sinopse me encantaram! Saber q o livro vai além delas me alegra muito!!!
    Ainda não li nada da Sophie para poder comparar com Madeline, mas ambas me parecem boas!!
    Gostei muito da resenha, espero ler o livro!!!

    ResponderExcluir
  2. Pensei que a história fosse mais voltada para a comédia e humor, mas vejo que é algo mais sério. Concordo com você que a complexidade dos personagens é um ponto extremamente importante e apesar de alguns serem chatinhos, são "humanos", com falhas e qualidades.
    A história em si parece um tanto clichê em sua essência, mas aparentemente a narrativa leva para outro lado, muito positivo por sinal.
    Quero ler o livro!
    bjs

    ResponderExcluir
  3. admito que não li ainda nenhum dos livros da autora, mas vontade é o que não falta.
    já li algumas resenhas deste livro, e todas me deixaram encantadas, mas também senti a mesma coisa: que Milly é muito insegura, e acho que isso acaba prejudicando a leitura :S
    mas isso não me impede de querer ler mesmo assim :D:D

    ResponderExcluir
  4. Não foi um livro que fiquei muito afim de ler. É meio que...ahh, não fez minha cabeça. É desses livros que sinto que não vou perder nada se não ler e fico com as resenhas dele só pra saber melhor da história...
    Se algum dia ler vai ser por pura curiosidade, nem tanta vontade mesmo...

    ResponderExcluir
  5. Nossa, eu achei mesmo que fosse um chick-lit! Esse é um dos livros que se fosse só pela capa e pelo título eu não me interessaria. Mas fiquei curiosa por se tratar de um livro da Sophie, que apesar de ainda não ter lido nenhum gosto bastante das sinopses. :)

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!