2 de mai de 2013

Nevermore por Kelly Creagh

Nevermore #1

A líder de torcida Isobel Lanley fica horrorizada quando descobre que seu parceiro para o projeto de inglês é Varen Nethers e que o projeto deve ser entregue — tão injusto — no dia do jogo contra o rival do colégio. Frio e indiferente, cínico e com a língua afiada, Varen deixa claro que ele também preferia não ter que estudar com ela. Porém, quando Isobel descobre um texto estranho escrito no diário de Varen, acaba vendo com outros olhos esse enigmático garoto de olhar expressivo. Logo Isobel começa a inventar desculpas para poder encontrar Varen. Afastando-se cada vez mais de seus amigos e do namorado possessivo, Isobel entra mais fundo no mundo de sonhos que Varen criou nas páginas de seu diário, um mundo onde as aterradoras histórias de Edgar Allan Poe ganham vida. Enquanto seu mundo começa a desmoronar ao seu redor, Isobel descobre que os sonhos, assim como as palavras, têm mais poder do que ela imaginava, e que as realidades mais assustadoras são aquelas criadas pela mente. Agora ela precisa encontrar uma maneira de chegar a Varen antes que ele seja consumido pelas sombras de seus próprios pesadelos. A vida dele depende disso.

Autora: Kelly Creagh
Editora: Pandorga
ISBN: 9788561784256
Páginas: 448
Nota: 

Quando você lê muito, acaba conhecendo vários outros autores por associação. Não digo que eles tenham um espaço para elogiar na contra capa, nem são frutos de indicações de quem já leu o livro e gostou. Certos autores você conhece porque aparecem na história, como referências ou, até mesmo, personagens. Esse é o caso de Edgar Allan Poe, famoso autor americano de sci-fi, fantasia e horror, e o livro Nevermore, de Kelly Creagh. A influência de Poe é gritante e muito relevante, porém, uma ideia boa baseada num autor bom, não quer dizer sucesso automático. 

A protagonista é Isobel, a típica garota popular que namora o quaterback do time da escola e é líder de torcida com longos cabelos loiros. Isobel é um clichê high school ambulante. A história começa quando ela é escolhida para fazer par com Varen, o garoto gótico e misterioso, para um projeto de literatura sobre Poe. Percebeu para onde isso vai? Eles são completos opostos, estão longe de se darem bem ou, ao menos, ter assunto em comum. O trabalho sobre Poe é um martírio para ambos. E como se não pudesse piorar, coisas estranhas - e um tanto inexplicáveis - começam a surgir na vida de Isobel.
- [...] Mas você é apenas uma personagem em uma história.
A mulher levantou o braço em um movimento tão repentino e artificial que Isobel teve que lutar contra o impulso de se afastar.
- E todos nós não somos exatamente isso?
Sem delongas, eu não gostei de nenhum dos personagens principais e, mais importante, não comprei a história deles. A autora não soube medir espaço de tempo de modo que desse credibilidade para acreditar nas situações. O romance, por exemplo. Isobel e Varen nunca se falaram antes, já que são de pontos extremos na pirâmide social, mas não demora nada (nada mesmo) para ela ficar intrigada com o garoto esquisito, largar o namorado gato e popular, e começar a pensar em Varen quase que em tempo integral. Entende o que quero dizer? O relacionamento dos dois não evoluiu, saltou com vara na cama elástica. E isso é muito constante no livro: as coisas mudam numa rapidez louca, e nenhum dos personagens tem carga emocional para sustentar. 

De Poe, nunca li nada mais do que alguns poemas e vários quotes, porém conheço sua fama baseada na atmosfera misteriosa de sua narrativa. Kelly, que obviamente é uma fã apaixonada, tentou colocar isso em seu livro. Ela quase conseguiu. É inegável o ar de mistério que passa pela história, todo aquele suspense e indícios de fantasia quando você está no completo escuro de informações. Isso prende o leitor, e para mim, foi a melhor coisa de Nevermore. Não é como se eu ficasse tendo arrepios e olhando para os lados quando estava lendo, esse suspense não sai do livro, mas acaba prendendo. Eu queria saber mais e mais, o que era o que estava por trás de tudo, qual o segredo sobrenatural que Varen escondia. Foi por isso que as mais de 400 páginas acabaram em pouco mais do que um dia.

Estava empolgada com Nevermore, li alguns comentários negativos antes da leitura e acho que isso foi o que me salvou de uma decepção. Os personagens não são bons, nem sozinhos, nem como casal. Juntar a popular patricinha com o pária que usa lápis de olho (e deu o primeiro sorriso na página 193) não é algo que arranque suspiros e conquiste o leitor só por parecer oposto e impossível (pfvr, isso é muito 2005!), e a autora precisa desenvolver muito o casal nos próximos volumes. Como suspense o livro não é ruim, mas acredito que tenha melhores no gênero.
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

8 comentários:

  1. Fiquei curioso pela leitura. Não li nada do Poe, apesar de a vontade ser grande. Quando eu vi o livro, achei que era em inglês. Mas até que se em português, a vontade me aumentou. Espero não me decepcionar :)

    ResponderExcluir
  2. gosto de Poe, e acho que se tivesse visto qualquer outra resenha deste livro iria querer comprá-lo na mesma hora... MAS ainda bem que você me abriu os olhos :D
    não vou dizer que nunca irei ler (never say never!) então, quem sabe um dia.... :)

    ResponderExcluir
  3. Eu fiquei muito curiosa com o livro. Gosto dos clichês adolescentes e espero ler o livro. Gostei bastante da sinopse, também amo fantasia e o mistério q têm nesse livro, espero muito, muito, para ler esse livro!!! Acho q é isso q vai me prender na história!

    ResponderExcluir
  4. Eu pretendo ler o livro mesmo tendo lido também algumas criticas negativas dele.
    Uma pena a autora não ter desenvolvido o romance de uma forma mais condizente com a realidade...gente não consigo imaginar um garoto de lapis nos olhos sexy kkkkkkkkkk, isso é broxante, isso sim, do Poe nunca li nada infelizmente,
    beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né? Lápis de olho não rola, lamento! hahaha Bjs

      Excluir
  5. fiquei mtoooo curiosaaa á respeito do livro, a capa já eu achei linda linda!!

    ResponderExcluir
  6. Já tinha visto outras resenhas, e sinceramente todas me desanimaram, acho q não perderia meu tempo lendo esse livro (a não ser q eu ganhar um... kkk), achei meio sem sal e sem açucar...
    bjos

    ResponderExcluir
  7. Vou ler mais pelo mistério mesmo. Digamos que patricinha clichê de colégio americano feat. emo feat. amor que começa na página 100, eu já esteja cansada de ler kkkkkk

    Beijo!
    http://raciocina-comigo.blogspot.com/

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!