11 de mai de 2013

Desejo à meia-noite por Lisa Kleypas

Os Hathaways #1
Após sofrer uma decepção amorosa, Amelia Hathaway perdeu as esperanças de se casar. Desde a morte dos pais, ela se dedica exclusivamente a cuidar dos quatro irmãos – uma tarefa nada fácil, sobretudo porque Leo, o mais velho, anda desperdiçando dinheiro com mulheres, jogos e bebida. Certa noite, quando sai em busca de Leo pelos redutos boêmios de Londres, Amelia conhece Cam Rohan. Meio cigano, meio irlandês, Rohan é um homem difícil de se definir e, embora tenha ficado muito rico, nunca se acostumou com a vida na sociedade londrina. Apesar de não conseguirem esconder a imediata atração que sentem, Rohan e Amelia ficam aliviados com a perspectiva de nunca mais se encontrarem. Mas parece que o destino já traçou outros planos.
Quando se muda com a família para a propriedade recém-herdada em Hampshire, Amelia acredita que esse pode ser o início de uma vida melhor para os Hathaways. Mas não faz ideia de quantas dificuldades estão a sua espera. E a maior delas é o reencontro com o sedutor Rohan, que parece determinado a ajudá-la a resolver seus problemas. Agora a independente Amelia se verá dividida entre o orgulho e seus sentimentos. Será que Rohan, um cigano que preza sua liberdade acima de tudo, estará disposto a abrir mão de suas raízes e se curvar à maior instituição de todos os tempos: o casamento?

Autora: Lisa Kleypas
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580411492
Páginas: 272
Nota: 

E continuo na vibe dos romances históricos. Não sei como passei tanto tempo da minha vida negligenciando o gênero e fazendo pouco caso dos títulos, achando que eram apenas livros com cara de clássico escritos nos dias de hoje. E agora não consigo parar de repetir quão enorme foi meu engano. Se tem um gênero que consegue ser totalmente amor, eis ele. Ok, talvez seja o caso que eu tenha tido uma sorte enorme nos ótimos livros que li, e nem todos sejam tanto bons assim. Contudo, posso dizer com propriedade que Desejo à meia noite, de Lisa Kleypas, não me decepcionou.

Se estamos acostumados a protagonistas ricas da alta sociedade e com títulos nobres, Amelia é o oposto. Com 26 anos, ela já perdeu os pais, teve o coração partido, e faz o que pode para cuidar bem de suas irmãs mais novas, já que Leo, seu irresponsável irmão mais velho, está mais preocupado em gastar o pouco dinheiro que têm em bebidas e jogos. A chance de colocar a vida nos eixos novamente é a família se mudar para uma propriedade precária no interior que Leo herdou, e assim se afastariam das casas noturnas de Londres. O que Amelia não contava para a nova fase de sua vida é que lá ela (re)encontraria Cam, um dono de bar que lhe ajudou na última busca que fez por Leo.

Desejo à meia-noite é mais profundo do que representa. Amelia é dada com solteirona, é a única responsável pelos irmãos e está quase falida, contudo não é só nela que o problema de improbabilidade do relacionamento se concentra. Cam é um rom, um cigano, classe que sofre um grande preconceito na sociedade londrina. Entretanto, ele é tolerado por ter uma sorte insana e transformar qualquer investimento em dinheiro - por mais improvável que seja. Numa primeira vista, eles não tem nada em comum além do espírito de independência e da teimosia, mas se essas são as características mais fortes do personagem, já basta, não? Para Cam e Amelia, certeza que sim.

O fator histórico é muito importante para o livro. Influências externas são bastante relevantes para o enredo do casal, principalmente quando Amelia é tão preocupada com as pessoas ao seu redor. O livro sucede a época que ocorreu a epidemia de escarlatina na Inglaterra (o livro se passa em 1848), e vários "rastros" da doença perseguem os personagens secundários, de modo que afete os principais. Isso não quer dizer que Amelia e Cam tenham aquela alma bondosa e altruísta demais que costumo me irritar. As cinco estrelinhas brilhantes lá em cima comprovam que não. Eles não são perfeitos e nem se esforçam para tal, e a autora deixa isso bem claro.

Confesso que eu não estava com expectativas muito altas para esse livro. Claro que eu esperava gostar, mas considerando os três romances que a editora Arqueiro lançou recentemente, nenhum chamou minha atenção tanto quanto O duque e eu (RESENHA). Então posso dizer que Desejo à meia-noite foi uma surpresa - uma agradável, meiga e linda surpresa. O romance é de doer a ponta dos dedos, o livro é bem escrito e o casal é daqueles que faz você suspirar até nas conversas mais banais. Eu recomendo o livro e não vejo a hora de ter o próximo livro da série em mãos.
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

8 comentários:

  1. Estou muuuuuuito curioso pela leitura de um dos romances históricos publicados pela Arqueiro. Se bem que sou mais team O duque e Eu, já que foi o que mais me chamou a atenção. Mas não dispenso Desejo a Meia Noite.. E o terceiro, quando vais ler, e quando sai resenha?

    Beijos
    Lucas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lucas! O duque e eu é o mais <3 dos três, é verdade! Já li o terceiro e a resenha está programada para sair na próxima semana :) Bjs.

      Excluir
  2. Delícia esses livros! Adorei quando vi os novos lançamentos da editora e esses lindos lá, gostei muito desse também, tem jeito de ser muito bom! *-*

    ResponderExcluir
  3. God, adorei o livro já pela capa HAUSHUAHSUAHUSHA
    E pela sua resenha, parece ser muito legal :)
    Esperando ter dinheiro pra comprar HAUSHAUHSUAHUS
    XoXo J. :*

    ResponderExcluir
  4. God, adorei o livro já pela capa HAUSHUAHSUAHUSHA
    E pela sua resenha, parece ser muito legal :)
    Esperando ter dinheiro pra comprar HAUSHAUHSUAHUS
    XoXo J. :*

    ResponderExcluir
  5. Eu deveria (até então), mas não estava tão empolgada com os romances históricos. Li bem poucos e estes poucos me fizeram amar o gênero, mas mesmo assim nunca foi prioridade numa compra, por exemplo.
    Lendo sua resenha - ah, agora sim! - fico empolgada para ler estes romances históricos da Arqueiro. Já ouvi falar muito bem de O Duque e Eu e ele parece mesmo fazer jus aos elogios.

    Esta coisa da protagonista não ser a top da balada (haha) me lembrou um pouco da Saga das Irmãs Wherlock - que, por tradição, a família é mal vista pela sociedade.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. eu tinha preconceito quanto a livros assim, mas depois de ler alguns mudei de ideia :P
    estou bem curiosa para ler este, pois todas as resenhas que li falaram muito bem dele...
    ah, fiquei com mais votnade de ler ele agora depois dessa sua resenha ;~~
    ele parece ser bem diferente dos que eu já li... mas muito fofo *-*

    ResponderExcluir
  7. Outro livro q me conquistou pela capa!! É linda!!!
    Vou ler com certeza já estou gostando do casal!!!
    Espero gostar da história como vc gostou.

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!