7 de fev de 2013

Escola: Os piores anos da minha vida por James Patterson e Chris Tebbetts

É o primeiro dia de aula em sua nova escola, mas Rafa Khatchadorian já sabe que será o pior ano de sua vida. Como se não bastassem seus problemas em casa, agora ele terá que descobrir como sobreviver ao sexto ano. Por sorte, Rafa bolou o melhor plano de todos os tempos: ele se propôs a quebrar todas as regras do colégio, valendo pontos. Porém, professores, pais e valentões não curtiram essa ideia mirabolante. Será que o plano vai passar de mágico a trágico? 

Autores: James Patterson e Chris Tebbetts
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580411225
Páginas: 288
Nota: 

Acho que pelos livros que resenho vocês já devem ter notado que não sou fã de romances policiais (que, ironicamente, quase nunca tem romance). Ok, assisto várias séries de mistério, com detetives e tudo mais, mas na hora de ler? Preguiça, quase nunca sou conquistada. E é por esse motivo que nunca tinha ido atrás dos livros de James Patterson, autor super conceituado do gênero, com vários títulos best sellers (e que já fez participação até nos Simpsons). Só que então o autor resolveu se arriscar em um novo gênero, com co-autor e focando no público infanto-juvenil. Certo, já passei da sexta série há uns bons muitos anos, mas né, ensino fundamental alheio é muito legal!

Rafa acabou de entrar num colégio novo (já que nos EUA, a sexta série é um novo estágio, assim digamos) que mais parece uma prisão, já sabe que aquele ano será péssimo e, como bônus, se apaixonou perdida e platonicamente pela garota mais popular, Jeanne. Gostei que Rafa é um personagem real, não estereotipado.  Não tem quem não foi como ele pelo menos um dia na longa jornada dos 10 aos 13 anos, então é muito fácil rolar identificação personagem-leitor. Ponto para os autores!

O grande plot do livro é o Projeto R.A.F.A. (Regras Atrapalham Felicidade Alheia), em que o personagem principal decide quebrar todas as regras do manual de conduta do aluno. Com ajuda do melhor amigo, Leo Caladão, que transforma tudo numa espécie de videogame, Rafa cria uma lista de objetivos com pontuações e prêmios extras, se mete em problemas continuamente e quer virar lenda no colégio. Pfvr, gente, é muito amor. Não tem como não rir e torcer que todas as suas infrações deem certo. 

O personagem tem uma imaginação incrível, e em várias situações ele vê o colégio como uma prisão com calabouços, guardas que parecem lagartos e professores com cara de criaturas malignas. A melhor parte? Que tudo isso vem ilustrado. Me sinto novamente aos oito anos, quando achava que livro digno tinha que ter imagens. Leo é um desenhista muito talentoso, e o tempo em que não fala (o apelido Caladão tem motivo), passa desenhando a história de Rafa. A história com professora Mulher Dragão e bullie gigante, obviamente.

Escola: Os piores anos da minha vida veio para continuar minha vibe de leituras leves e divertidas. Não é um livro fora do comum, não é algo que mexe com o coração e, definitivamente, não mudou a minha alma. Entretanto, é doce, gostoso de ler e faz parte daqueles livros despretensiosos que tem que ter na estante para curar qualquer fossa/ressaca literária. Quer terminar as férias numa vibe relax? Vá nele! Só quero levantar uma coisa mais: como autores são versáteis, não? Rafa é encrenqueiro, mas ninguém morreu estripado (estou supondo) como nos outros livros de James! 
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

9 comentários:

  1. Não li nenhum livro do James, confesso! E me culpo por isso, por que os comentários são ótimos! E olha que a variedade é imensa! Mas não compraram na biblioteca, não tem nenhuma promoção na Americana que me faça vibrar, nem nada! Escola achei interessante, fiquei curioso para ler! Tenho que conhecer esse outro lado de James!

    ResponderExcluir
  2. Fiquei tão surpresa quando descobri que esse livro era do James P.! hahaha
    Só li desse autor, até hoje, Eu, Alex Cross, e o estilo (além do clima da capa) são beem diferentes.
    Parece ser realmente interessante, apesar de eu estar um pouco traumatizada com livros de adolescentes. haha

    ResponderExcluir
  3. Nesse aspecto pareço mt com vc... Nao sou mt fã de livros policiais, especialmente do James Patterson. Eu gosto de Agatha Christie e Stephen king, mas dai ja e mais puxado pro suspense.
    Só acho errado destacarem o nome do James Patterson na capa do livro e da outra autora nao... Sei que ele é mais conhecido e tals, mas né... chato isso.
    Gostei da sua resenha, o livro parece ate ser legal, mas nao sei se chegou a me conquistar msm...
    bjim

    ResponderExcluir
  4. "ensino fundamental alheio é muito legal!" true story, bro.

    Bom, eu gosto muito de livros policiais, então ja conheço o Patterson de outros carnavais (hehe), maaaaas fiquei muito curiosa pra ver como ele se sai nessa coisa de Infanto-Juvenil. Eu gosto muito da escrita dele, e sou absolutamente apaixonada por livros Infanto-Juvenis mesmo com meus bons 19 anos na cara. De longe é meu estilo favorito (sorry, YA). Logo, vou correndo colocar na minha lista do skoob e pesquisar preços e infos.

    Beeeijos ;*

    ResponderExcluir
  5. nunca li nenhum livro do James (apesar de adorar o gênero de escrita dele), mas tenho muuuuita vontade!
    esta capa é totalmente diferente de seus outros livros né :O
    adorei, com certeza vai para a minha lista de desejados *--*

    ResponderExcluir
  6. Bestou bem curiosa pra ler esse novo livro do James, por conta que nao é bem o genero que ele é adaptado (acho que essa é a palavra) a escrever. Alem do que a capa é lindinha!

    ResponderExcluir
  7. tenho curiosidade de ler.. ai os melhores anos da minha vida foram na escola , sempre foi o tempo mais feliz!

    ResponderExcluir
  8. Não li ainda nada desse autor, mas esse livro parece ser legal kkk

    Não sei porque, mas eu gostei desse tema aushauhsahu

    ResponderExcluir
  9. A primeira coisa que me deixou um pouco pé atras com esse livro foi o sobrenome do protagonista, Khatchadorian - É o mesmo do Kevin, de Precisamos falar sobre o Kevin, vai por mim isso dá medo. Aí li uma outra resenha super negativa e desanimei geral. Agora me animei novamente, assim que der vou conferir pra ver qual vai ser minha opinião, afinal eu adorei "O Diário de Suzana para Nicolas", do autor, um dos meus livros favoritos. E livros leves e ilustrados (agora eu sei como elas entram no contexto do livro) nunca são demais.

    PS: Adoro romances policiais, é o meu genero literário favorito, tenho vários livros do James na prateleira, quero ver se esse ano dou uma andada na fila...

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!