31 de jul de 2011

Aula de Make: Azul


Não sei qual é a fixação que as pessoas tem com sombra azul. Sério! Desde que saiba usar, fica lindo. Só que tem gente que não sabe, e fica muito estranho! Pensando nisso, pedi para minha amiga @MrsRafaelaSV, mestre dos pincéis de make, para fazer um tutorial com a cor, misturando três tons.

Passo a passo:

1° - Limpar a pele
2°- Passar corretivo nas olheiras e nas pálpebras
3°- Colocar sombra azul claro no canto do olho pra iluminar e no começo  da pálpebra
4°- Colocar azul um pouco mais escuro no meio da palpebra
5°- Colocar sombra azul marinho no final da pálpebra, fica bonito se puxar um pouquinho canto
6°- A sombra azul clarinho da pra passar no resto da pálpebra que ta sem sombra e tbm da pra esfumar no côncavo
7°- Colocar a sombra mais clarinha abaixo das sobrancelhas
8°- Lápis preto na marca d’agua
9°- Com um pincel chanfrado passar abaixo dos cílios uma sombra azul, fazendo um linha fina
10°- Batom de tom claro. Nude fica lindo!
PS: O pó compacto é sempre usado depois da sombra e antes do blush e batom #ficadica

Agora ficou fácil, né?
Qualquer dúvida, ask us  e para sugestões de próximos makes, comente!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

29 de jul de 2011

É a Mesma Garota?

Ontem/Hoje (depende de como você encara a 1hr da manhã), quem me segue no twitter (follow: @GirliePoderosa) acompanhou meu comentários "simpáticos" dos looks da Dianna Agron, a Quinn Fabray de Glee. A atriz que arrasa no Red Carpet faz cada combinação no dia-a-dia que assusta, sério! Como alguém pode ser tão bipolar nos assuntos fashions? Resposta: É personal stylist, meu bem!

Não vou ser cruel e dizer que ela não acerta nunca na vida real. Alguns de seus looks com comprimento midi, camisa jeans e sapatilha não são tão terríveis, embora eu não usasse nem sob tortura (mentira, sob tortura eu usava, mas só assim!). Acompanha a diferença entre um look para tapete vermelho e outro para a calçada de Los Angeles.
#WRONG Comprimento pelo joelho é trend. Maxi tricot também. A peça como sobreposição é uma composição fashionista. Agora essas estampas não conversaram nada! As cores não eram compatíveis, ambas peças eram largas, não fechou. A bolsa bicolor em P&B e a sapatilha podem ser neutros, mas ainda assim não são bonitos. 
#RIGHT O comprimento midi do vestido é super fashion e não é óbvio. A textura tem um brilho discreto que brinca com os tons de preto, azul e petróleo. O decote coração e o laço são detalhes super femininos que combinam tanto como o scarpin preto básico.
#WRONG Vestido longo estampado é uma peça chave do guarda-roupa feminino. A sapatilha preta conversou com o look. Até ai tudo bem. Só que, não satisfeita (e com frio), Dianna joga por cima o casaco laranja/rosa/coral/melancia (?) que mais parece um roupão. O óculos de coração é um charme. Num clipe da Katy Perry.
#RIGHT O vestido rosa nude com decote reto, tomara que caia, fica justo no busto e depois se solta numa saia fluida, super feminino! A clutch dourada combinou com o vestido (e com o cabelo) dando um toque glam.
#WRONG É possível, sim, peças básicas deixarem um look over. Olha a prova! Camisa jeans, calça cenoura preta, espadrille um tamanho menor (repara o pé dela gritando S.O.S. por mais espaço!), duas maxi-bolsas. Quem precisa de duas bolsas grandes?! Dianna, darling, aproveita que tá no telefone e liga pra Fashion Police, ok?
#RIGHT Normalmente é tecido nude com renda preta, mas ela (ou a stylist) saiu da zona de conforto ao trocar por fundo preto e renda branco off-white. Master feminino! Eu ia amar uma versão mais curta...
#WRONG Ninguém nunca avisou pra ela que não pode usar comprimento midi com bota montaria? Dispenso outros comentários.
#RIGHT Embora o bico fino do sapato me desagrade, o vestido girlie me ganhou! Com corpete preto, faixa grafite, a saia é branca com detalhes em preto, mas tem o grande up com a sobre-saia azul dando mais movimento e graça!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

28 de jul de 2011

Alerta de Tendência: Wedge

Por que uma versão gigante se existe uma menor e mais prática? Por que dizer "ankle boot de salto anabela" se pode simplesmente dizer "Wedge"? E, já aviso, é bom incorporar essa palavra no seu dicionário já que ela vão estar presente (e muito!) nos seus pés nessa temporada invernal!

Wedges são saltos anabelas gigantes que dão impressão de continuidade por serem da mesma cor e material do sapato em si. E não é somente em ankle boots, mas também em sandálias abotinadas e scarpins. Mas não as confunda com plataformas, que são saltos inteiros, gigantes e feios do inicio ao fim do sapato, enquanto o modelo it é crescente, talvez com uma meia-pata de início, mas o saltão gigante mesmo você só vê no final.
E elas são bem pesadas! A wedge é mais trabalhada que a antiga anabela. Tem modelos de camurça, de couro, com pelos, com cadarços, com zíper, com tachas, com fivelas e com as mais diversas estampas. As de animal print são as mais pedidas enquanto as cores que fogem do preto são variações de tons terrosos, marinho e verde militar.

Para deixá-las em destaque no look, use com peças curtas como shorts, saias ou vestidos. Assim elas ficam bem à mostra! Calças, leggings e meia calças se usadas da mesma cor da Wedge são ótimos truques para alongar a silhueta. Ahh, e se optar por um modelo de oncinha, por exemplo, use peças sóbrias e de tons neutros, caso contrário fica to much.
Meia soquete junto de wedge fica lindo e é cinematograficamente comprovado que é fashion, se não, por que Quinn Fabray (Glee) usaria tanto na segunda temporada do seriado! Pode reparar nos pés da cheeleader, a partir do episódio 15/16: ela adora! E a it girl Alexa Chung também - e vcs sabem, Alexa usou, é fashion!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

26 de jul de 2011

Aprenda com Eric Daman

Você já se tocou que muitas vezes glorificamos o trabalho final sem parabenizar o artista? Que por trás de todo aquele esplendor existe alguem que trabalhou para fazer acontecer? Você, por acaso, sabe quem é Eric Daman?

Quem me segue no Twitter (follow @GirliePoderosa) tem acompanhado todo meu drama desde semana passada com os episódios da 2ª e 3ª temporada de Gossip Girl, que eu estava completamente desatualizada. E além dos personagens cativantes, das tramas envolventes e polêmicas, de Chuck Bass, existe a moda, o figurino perfeitamente pensado para nos fazer suspirar - e amar - cada vez mais a turminha do Upper East Side. E quem está atrás do figurino? Apresento à vocês, Eric Daman!
Avaliado em 18 milhões de dólares, são mais de 10.000 peças de roupas, 300 colares, 500 bolsas, 1200 pares de sapatos e 200 tiaras em um prédio de 5 andares de Nova York. Um minuto de silencio dramático. Tem pessoas que se perdem num museu e ficam quando fecha, outras pessoas no supermercado, se eu fosse escolher onde ficar trancada, seria nesse prédio cheio de Chanel, Loubotin e Valentino!

A equipe de figurinistas comandada por Eric tem que respirar alta costura para todos os personagens do seriado, cada um com seu estilo definido. Ctrl C + Ctrl V? Não dá certo, Jenny Humphrey já provou o veneno.

Blair Waldorf é com certeza a melhor personagem da série e um dos melhores figurinos da televisão (empata com Aria Montgomery de Pretty Little Liars). Glamurosa e refinada, Queen B se inspira nos figurinos dos anos 50 e 60, mais especificamente com as personagens de Audrey Hepburn, sua it girl. Rainha da elite de Manhattan, o figurino da personagem amadureceu no decorrer das temporadas, perdendo as tiaras (surpreendentemente o culpado é Dan Humphrey!) e ganhando mais detalhes maduros como taillers, rendas. Nunca verá Blair Waldorf de jeans, comprimentos mínis e decotes exagerados. Mais phynesse que ela impossível!

Serena van der Woodsen é a grande it girl! Fashionista de primeira, a polêmica socialite sempre tem em seus looks uma referencia fashion. Qualquer peça inovadora que S use é informação de primeira mão para o que vai bombar na próxima temporada (e não to falando da temporada do seriado). E o que Blair tem de recatada, Serena tem de cool, algumas vezes até vulgar. Curto demais com justo demais e decotado demais - é, talvez para Blake Lively cola, na real nem tanto. Para tirar um inspired no figurino da personagem, jaquetas perfecto e saltos altíssimos são boas pedidas!

Jenny Humphrey já tentou copiar a Blair e a Serena, e se deu mal. Conseguiu superar o Brooklyn do currículo e virar a rainha da Constance quando deixou de ser Maria-vai-com-as-outras e assumiu seu lado bad girl, apostando no rocker. Nada de outro mundo, simplesmente ousado para uma Rainha do Upper East Side. Maquiagem pesada e cabelos platinados são suas marcas registradas - além do abandono da tiara na posição de Queen.

Vanessa Abrams é uma personagem que embora esteja no elenco principal é completamente inútil. Tanto faz se em termos de moda ou personalidade mesmo, a garota só serviu para pegar todos os garotos do elenco e acabar com a imagem de santinha que eu tinha da Hilary Duff. Com looks folk cheios de estampas étnicas, muitos acessórios étnicos e aquele toque cult de artista, Vanessa ganhou mais importância do que deveria (eu acho!). Agora, vamos honrar a série e fofocar um pouco, eu sei que nos livros a Vanessa tinha cabelo Joãozinho (tipo o da Emma Watson), mas isso não quer dizer que a CW podia extrapolar tanto com as madeixas da garota. Sério, darling V, já ouviu falar de hidratação à base de queratina?

E vivendo nesse mundo, Eric (meu ídolo!) lançou um livro "I Know You Want It" no ano passado, cheio de dicas de moda e estilo, coisa que ele aprendeu (e muito!) quando trabalhou com Patricia Field, figurinista de Sex and The City. O livro, que não foi lançado no Brasil, teve o prefácio assinado pela Leighton Meester. Bora pedir lançamento aqui? Yes, I want it!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

25 de jul de 2011

Sintonize: Ariana Grande

Quando você olha Brilhante Victoria, o grande destaque da série vai para Tori (personagem de Victoria Justice), um pouco para Jade... Cat, a garota de cabelo extremamente vermelho e personalidade infantil e voz aguda, não é uma personagem mt ativa no seriado. E com a dublagem da Nick, ninguém percebe a linda voz da atriz que também é uma cantora de primeira! Foi preciso assistir iParty with Victorious legendado para ver que até dublagem de canal infanto-juvenil também acaba com um seriado!
Num som que mistura Demi Lovato e Rihanna, a ruiva de 18 anos tá investindo na carreira musical. Embora a maioria de suas músicas publicadas são covers, Ariana já tem músicas exclusivas, todas postadas no Youtube. Se Justin Bieber conseguiu, pq Ariana também não consegue?
Love the Way You Lie (Rihanna feat Eminem), Rolling in the Deep (*-* - Adele), Grenade (Bruno Mars), Teenage Dream (Katy Perry) são algumas das músicas que a girl já fez sua própria versão. A voz dela é doce e profunda, nem um pouco grave (longe de Paula Fernandes!). E algumas das músicas são melhores até que a original!
O mix de California Gurls e Tik Tok ficou mt boa - melhor que qualquer uma delas. Também tem Born This Way junto de Express, e as músicas dela mesma como Lullaby (repetitiva) e Higher (mt boa!!).

Ariana vale o download!
Hei, Nicklodeon, vamos parar de dublar? iCarly ia ficar mt melhor!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

23 de jul de 2011

Resultado: O Enigma do Fogo Sagrado Autografado

Eu tava quase esquecendo do fim da promoção hoje - bem que alguém podia me dar um toque no twitter, né? #abapha

Não vou enrolar, quem ganhou um exemplar autografado de O Enigma do Fogo Sagrado do autor Hermes Lourenço foi...


Gabriele Zimmer

Parabéns! Você tem até as 15:00hrs de quarta-feira pra responder o email!
E você que não ganhou não desanime: ainda tem a promoção dos 1000 Seguidores, No Direction Home e Destino. E mais outras que estão vindo *-*
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

Glee - O Inicio

Glee - O Início por Sophie Lowell

Uma oportunidade única para conhecer os bastidores do colégio McKinley - antes mesmo de o New Directions existir aos olhos do Sr. Schuester - e descobrir tudo sobre os principais personagens da série Glee. Quando Rachel viu Finn com outros olhos pela primeira vez? Como Quinn e Puck começaram seu romance secreto? Quando Mercedes começou a confundir os conceitos de “amigo gay” e “namorado”? E como será que o então amador clube do coral sobrevivia sem um líder destemido? Dica: não era exatamente um sucesso. "Glee - O início" é baseado na série de TV da Fox criada por Ryan Murphy, Brad Falchuk e Ian Brennan. Prequel oficial da série Glee, atualmente exibida pela FOX e a partir de julho também na Rede Globo. A série é sucesso desde sua primeira temporada e teve 19 indicações ao prêmio Emmy e 11 Golden Globes.

Editora: Galera Record
ISBN:  9788501094414
Páginas: 222

Quando soube do lançamento de Glee - O Início não fiquei muito entusiasmada. Todo mundo já sabe que sou apaixonada pelo seriado, mas em um enredo onde o principal é a música como adaptar para um livro? Como expressar a perfeição da voz do Puck? Os passos de dança do Mark? As maravilhosas adaptações das músicas? As canções originais? Não seria um livro sonoro, seria?

O clube Glee vai de mal à pior. O instrutor, Sandy Ryerson, não dá atenção ao coral, seus quatro integrantes (Mercedes, Tina, Kurt e Artie) embora talentosos não se conectam. Eles ainda tem uma apresentação que promete ser um fracasso. A música parece alheia, como se faltasse algo. Então, Rachel Berry, a irritante garota com mania de estrelato que canta todos os dias no aviso matinal, entra no clube para ajudá-los. Só que ninguém aguenta Rachel Berry.

Enquanto isso Quinn Fabray, a animadora de torcida popular e loira, se vê confusa entre dois garotos: Finn, o simpático astro do time de futebol americano da escola, ou Puck, o rebelde melhor amigo de Finn que causa uma sensação estranha e gostosa em Quinn. Ficar com Finn seria o mais correto para conseguir o título de Rainha do Baile de Boas Vindas e manter sua reputação de sócia-fundadora do Clube do Celibato, mas o que fazer se Puck a atrai tanto?

Depois que passou minhas dúvidas sobre o modo como a música seria apresentada no livro, comecei a achar que seriam contos. As primeiras faíscas entre Rachel e Finn; A primeira traição de Puck e Quinn; O início do pseudo-relacionamento entre Mercedes e Kurt... Mas não. O livro é uma história completa: com início, meio e fim, antes de começar o Novas Direções que conhecemos da obra televisiva de Ryan Murphy. Um leve gancho para um próximo livro ou simplesmente acompanhar o resto da trama pelo próprio seriado.

Somente Rachel conseguiu captar a essência da personagem de Lea Michelle para trazê-la dentro das páginas. Ela sempre fora minha favorita na série: irritante, chata, com aspirações à fama, sonhos muito altos. Sempre me identifiquei com ela. E no livro também. Embora não dê para ouvi-la cantando Get it Right, continua sendo muito boa a adaptação. 

Já os outros personagens não foram bem captados. Quinn pareceu maldosa 24hrs, Brittany não teve suas tiradas nada-espertas que são a comédia de Glee, Santana foi simplesmente uma vadia e não uma vadia do mal, Finn pareceu ingenuo demais, Puck pouco sedutor, Mercedes muito convencida, Kurt não foi tão sutil quanto sua sexualidade como foi na série... 

O livro não foi completamente fiel ao seriado, o que me fez estranhar um pouco antes. O clube Glee já começa na primeira página, sem Willian Shuester, sem se chamar Novas Direções.. O único erro é o nome de Puck. Qualquer fã da série sabe que é Noah Puckerman e não Puck Puckerman. Dã, era só pesquisar no google!

Eu gostei mais do que imaginava, já que minha versão do livro estava bem distorcida antes de tê-lo em mãos. Qualquer fã da série tem que lê-lo. Embora comece diferente, o relacionamento entre os protagonistas é mais fofo que na série e dos vilões (se é que dá para chamar Puck e Quinn de vilões) é algo que não conheciamos. Mas se você nunca viu a série, a leitura pode ser ainda mais proveitosa já que não terá expectativas e imagens do Mark Salling vagando na mente.

PS: A capa do livro não faz jus a nenhuma encontrada no Google. Até na versão oficial, Glee está escrito em azul, mas na real é um alto relevo brilhoso que vária de acordo com a posição - lindo demais!! E é o Cory Monteith na lateral #todasgrita

Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

22 de jul de 2011

10 Achados nas lojas Marisa

Depois do cinema, do shopping e do Mac, tudo que faltava em Marte seria uma loja de Departamento. Embora grifes deem um valor a mais (e que valor. Literalmente.), lojas de departamento também são conceituais e estão sempre ligadas nas trends que surgem, basta olhar alguma das diversificadas vitrines para achar as peças must have da temporada. 

Pensando nisso, escolhi 10 it peças das Lojas Marisa - todas por menos de R$100,00 - mas esqueci de pegar o preço exato de cada um, ops! Mas antes, um super thanks pra minha "equipe" que ajudou super no post: @odudu_, @gaabinter, @MrsRafaelaSV e @Im_Letiicia :)
Cardigã de animal print com fundo cinza mescla. Nem preciso dizer que eu adorei, né? Ele é mais comprido, cobrindo parte do quadril, o que ajuda a disfarçar caso tenha problema com coxa ou quadril muito grande. Fica bem com aquele vestidinho liso (misturas estampas com animal print é muito arriscado), com jeans, wet legging, com saia, shorts... É coringa e estiloso - e ajuda naquele dia de temperatura meio-termo.
Adaptação de duas super tendencias desse inverno: jaqueta jeans e pele, formando uma jaqueta aviador (também it) não óbvia. Mais curta, a jaqueta tem uma modelagem básica e lavagem também. O grande toque fashionista que faz toda (T-O-D-A) a diferença é a gola de pele. É tão básica quanto uma jaqueta jeans, só que com a diferença que essa você não pode usar cachecol, echarpe, pashimira, lenço e outros adereços no pescoço - fica too much.
Com uma sutil estampa canina, essa blusa é um amor! A gola babador e a manga levemente bufante são toques femininos que juntos da estampa divertida tornam a blusa uma peça super versátil do seu guarda roupa. Ela não é dessas peças que você comprar e deixa jogada no fundo do armário até a próxima doação. Não pude deixar de pensar que Rachel Berry ia adorar essa blusa.
T-shirt com estampa remetente ao rock não é para qualquer um. Tem gente que usa e passa atitude, mas tem outras que ficam como pseudo-revoltados, o que não é nem um pouco legal. O fundo branco já tira um pouco do obvio já que as camisetas roqueiras normalmente são pretas. Jeans destroyed, legging, peças de couro: complementos certos. Não combine com saias evasê de babados ou peças com renda. NOT!
Vestido tulipa com gola V, animal print com pequenos detalhes em fluor: demais para você? Esse não um vestido doce que qualquer garota pode usar. E não estou falando só do volume que a saia dá no quadril. Esse vestido tem atitude! Acessórios pretos são os melhores complementos para não ficar over.
Estampa de rosas podem parecer coisa velha, essa coisa antiga de pinturas de natureza morta... E, vamos encarar os fatos, são mesmo. Só que as celebs resolveram apostar nessa estampa nos vestidos de Red Carpet, nos looks do dia-a-dia e não demorou muito para cair no gosto da mulherada, afinal elas são delicadas e femininas. O cardigã é bem assim: delicado e feminino! Com uma saia vermelha fica lindo!
Colete de pele: it, it, it! Embora eu ache que coletes sejam peças bem inúteis e mais acessórios do que peças de roupa, eles são essenciais num guarda roupa de it girl. É só jogar junto de um look comunzinho pra perder essa label por outra super hiper mega ultra fashionista!
Doce, delicado, girlie... O cardigã em tom laranja pastel é para aquela garota fofinha, que ama um bom romance! O laço de renda branca é o detalhe certo, combina super com a ideia central da peça. Saia plissada fica super fofo junto do cardigã, é o complemento perfeito!
Um pouco delavê com toques mais destroyed. Essa jaqueta tem cara de vintage - anos 70 ou 80. Azul claro quase branco com toques manchados ela tem atitude mas pode ser usada em looks femininos também. Emma Roberts usou uma parecida com vestido longo! 
De todos os modelos de jaqueta no mundo todo, esse estilo perfecto é meu preferido! O zíper mais para um lado, a gola irrelevante... Essa é toda em micro paetês pretos, dando um efeito molhado. Perfeito para balada, essa jaqueta é quentinha, master fashionista e muito lynda!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

21 de jul de 2011

Sorteio: Destino

Esses dias entrou em contato comigo a equipe do livro Destino da escritora Ally Condie, lançado pela Suma de Letras, para uma parceria com o P&G. E, é claro, vocês se deram bem com isso!
Vamos sortear um exemplar do livro futurista que é sucesso no mundo todo!
Cassia tem absoluta confiança nas escolhas da Sociedade. Ter o destino definido pelo sistema é um preço pequeno a se pagar por uma vida tranquila e saudável, um emprego seguro e a certeza da escolha do companheiro perfeito para se formar uma família. Ela acaba de completar 17 anos e seu grande dia chegou: o Banquete do Par, o jantar oficial no qual será anunciado o nome de seu companheiro. Quando surge numa tela o rosto de seu amigo mais querido, Xander - bonito, inteligente, atencioso, íntimo dela há tantos anos -, tudo parece bom demais para ser verdade.Quando a tela se apaga, volta a se acender por um instante, revelando um outro rosto, e se apaga de novo, o mundo de certezas absolutas que ela conhecia parece se desfazer debaixo de seus pés. Agora, Cassia vê a Sociedade com novos olhos e é tomada por um inédito desejo de escolher. Escolher entre Xander e o sensível Ky, entre a segurança e o risco, entre a perfeição e a paixão. Entre a ordem estabelecida e a promessa de um novo mundo.
A equipe de divulgação do livro caprichou! Além das parcerias com blogs, eles estão no Twitter, no Orkut, no Facebook, na Blogosfera! Dá uma seguida/curtida/sei-lá-mais-o-que!

REGRAS:
  1. Ser seguidor PUBLICO do blog;
  2. Deixar um comentário neste post validando a participação;
  3. Ter endereço de entrega no Brasil;
  4. Preencher o formulário corretamente aqui;
Chances Extras (a cada participação, uma entrada a mais):
"#Sorteio Eu quero descobrir como é A Sociedade do @livrodestino junto da @GirliePoderosa 
http://t.co/LjT9hgh"
O sorteio vai até as 23:59hrs do dia 21/08 (o aniversário vai ser meu - aguardo presente parabenizações - e quem leva presente é vocês, sou legal né?).
Tem mais sorteios rolando aqui no blog, já tá participando? Aqui!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

20 de jul de 2011

Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2 (sem spoilers)

Acho que dar um minuto de silêncio é extremamente pouco. Eu daria uma hora, só que todo esse tempo pensando no Harry iria me fazer chorar. De novo. Por que não oito? Foram oito filmes, oito livros se contar os Contos de Bedle. Foram milhares de minutos, milhares de páginas. Foram milhares de dias entre um filme e outro. E tudo acabou. E, convenhamos, foi um final digno dos milhares de momentos que passamos ao lado de Harry Potter.
No momento que sentamos na cadeira do cinema, que começam os trailer, a respiração já tranca. O rosto do Voldemort na última cena da Parte 1 seguido pelo símbolo da Warner, a música que todos já conhecemos, o nome do Harry Potter. Assim começam as duas horas e pouco mais que fecham uma geração de garotos(as) que esperaram cada ano por um novo filme, cada mês por um novo livro, cada premiação por um novo trailer oficial. Assim fecha uma geração de garotos que cresceram com Harry Potter, que esperaram a carta de Hogwarts, que tentaram jogar Abaphiatto nos professores, Accio no controle remoto da TV, Imperius nos pais, Avada Kedavra nos inimigos.
Cada ator fez uma trabalho maravilhoso. Desde o primeiro minuto de Harry Potter e a Pedra Filosofal cada ator fez com extrema perfeição seu personagem. Acompanhamos o amadurecimento, o envelhecimento, a passagem de criança à adultos. Tanto os artistas mais novos, como Dan Radcliffe, Emma Watson e Rupert Grint mas também os atores mais velhos como Alan Rickman que fez o Snape ou Maggie Smith a Profª McGonagoll.
Aliás, o grande destaque na interpretação desse filme não foi para os três protagonistas. Eles tiveram seu ápice em Harry Potter e as Reliquias da Morte Parte 1. Embora importantes e ativos, os melhores atores (e personagens) foram Minerva McGonagoll e Severo Snape. Cada um a seu modo, emocionaram os espectadores, aos leitores, com uma atuação digna da grandeza de seus personagens. Ah, Ralph Fiennes ("Voldy") também foi um destaque e tanto!
Eu quero, ano que vem, sentar na poltrona do cinema, engasgar nos créditos de abertura, viver mais duas horas querendo levantar e pular na tela, chorar nos créditos finais (pode rir, muita gente já riu de mim por isso...), mas isso não vai ser mais possível. Harry Potter foi uma década da vida de todos os fãs, que foi finalizada com um dos melhores filmes da saga (é difícil nomear o melhor) e que irá deixar saudades.

Pronto, chorei de novo!

Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

PS: De qualquer forma, ainda não perdi as esperanças de chegar a minha carta de admissão.

18 de jul de 2011

Alerta de Tendência: Bolsa Saco

É o revival dos anos 60 com o Lady Like, dos 70 com o Rock n' Roll, dos 80 com o Hippie, dos anos 90 com várias influencias fashion. Uma delas que tá bombando nas ruas é a Pouch Bag, vulgo Bolsa Saco. Na campanha da Dior, da Louis Vitton, it modelos da Miu Miu, Chanel, Balenciaga, no desfile da Ausländer, no closet da Ashley Olsen, nas vitrines brasileiras. Elas ganharam as mulheres!

Se quiser adiantar a tendência, essa é hora. Enquanto no inverno ainda tá a febre de Birkin e Alexa Bag, o verão será das Bolsas saco. Confortáveis e práticas, elas levam o nome por ter a "boca" mais "murcha", em formato de (dã) saco.
E não se engane que esse é um modelo de praia. As Pouch Bags vão do shopping á balada, da piscina ao tapete vermelho. Claro que não o mesmo modelo, né?! Elas são versáteis e bem variadas! Tem mais feminina como essa Temperley London, mas rocker com essa Donna Karan, discreta com a Prada, rústica como a Versace, color como a Mulberry, chamativa como a Marc Jacobs. E não precisa ser só de "grifão", várias marcas já estão produzindo por preços mais camaradas. E tem também nas lojas de departamento. No verão, então, vai ter em toda esquina!
Com calça jeans, shorts de couro ou saia de babados, a it bag fica bem com tudo. Tanto que Kate Bosworth usou no dia a dia e Freida Pinto num Red Carpet. Tá, você não tem uma Premiere cheia de paparazzis para ir (eu acho, pelo menos, ou você é uma celebridade famosa?), mas mesmo assim. Um modelo pequeno com alça de corrente substitui a bolsa carteira na hora da festa. E é mais prática, convenhamos.

Antes de ficar obsessão feminina no verão, compre a sua já! Além de estar mais barata, você paga de fashionista ao adiantar a trend. Dois em um, certo?

Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

Rostinho Bonito

Rostinho Bonito por Mary Hogan


A vida de Hayley tinha tudo para ser perfeita. Ela mora na Califórnia, a poucos metros da praia, o clima é sempre perfeito, as pessoas são legais e ela tem uma melhor amiga dos sonhos! Além de tudo, Hayley é engraçada, inteligente, amiga e tão bonita...de rosto. Tudo isso seria ótimo se não fosse por um pequeno detalhe: Hayley e a Califórnia não poderiam ser mais incompatíveis. Ela não tem nada de magrela e, sem o corpinho sarado (ainda que artificialmente) típico da região, nem pensa em chegar perto da praia. Suas qualidades, ao invés de ajudar na sedução do lindo Drew Wyler, só atrapalham. Antes que Hayley surte com a pressão de ter uma mãe irritantemente obcecada por perder peso, um amor que nunca vai passar de uma amizade - e que, além de tudo, está a fim de sua melhor amiga - e sua dificuldade em se encaixar no padrão californiano, seus pais resolvem ter a melhor ideia do mundo: mandá-la para a Itália para passar o verão! Hayley não poderia imaginar que seria lá, em um lugar onde ela precisa andar quilômetros no sol (e em ladeira!) para ter acesso a tecnologia, longe de sua melhor amiga e tudo que lhe é familiar e tendo que conviver com dois irmãos pequenos em sua nova casa, que sua vida mudaria para sempre. Aprendendo a ter uma visão completamente diferente de si mesma e do mundo, Hayley pode finalmente ser Hayley, . Lá ela não é gorda, tem curvas. A comida (quem diria!) não é sua arquiinimiga. Ter um rostinho bonito é finalmente um elogio. Mas, principalmente, lá ela não precisa ser mais uma menina de revista para achar o seu verdadeiro Drew Wyler. 


Editora: Galera Record
ISBN: 9788501086082
Páginas: 233
Comprar

Vou ser bem polêmica agora e sei que muita gente vai discordar de mim, mas Meg Cabot é uma escritora super valorizada. Sério. Não vou ser hipócrita e dizer que a autora não é diva, escreve super bem... Eu amo os livros da Meg! Mas isso não deixa de ser uma master generalização, existe livros dela que eu não gosto. E também existe escritoras tão doces e divertidas quanto a Meg, pouco conhecidas, nem tanto divulgadas. Caso de Mary Hogan, uma Meg Cabot desconhecida.

Hayley poderia ter uma vida perfeita! Ela tem uma melhor amiga que é uma irmã (Jackie), um paquera que é um fofo (Drew), mora numa cidade desejo, é engraçada e tem um rosto tão bonito. Ser engraçada é aceitável, tem um rosto bonito não. Ter um rosto bonito é como ter uma ótima personalidade. É ofensivo! Significa que você não é bonita, mas os outros não jogam isso na cara. Só que a vida de Hayley não é perfeita.

Ela tem problemas com o peso, uma gula insana e todos seus problemas são silenciados com pizza e chocolate. Hayley odeia praia (e ela mora na Califórnia!!!). Para piorar ainda mais, a mãe de Hayley é obcecada com peso, "nada pior que uma ex-gorda que encontrou Deus nas frutas, verduras e legumes frescos". Já falei que Drew gosta de Jackie?

Fugindo do coração partido, da perseguição da mãe, da praia ensolarada cheia de biquínis que evidenciam a perfeição a la cirurgia plastica, Hayley vai passar o verão na Itália, com a amiga de faculdade da mãe e a família dela.

O grande barato das histórias da Mary é que as personagens são normais. Garotas comuns, como eu e você. São garotas com problemas comuns, obsessões comuns, amigos comuns, vivem num mundo comum, com um medo natural de seres sobrenaturais que não existem. Nada de anjos, vampiros, lobisomens, caçadores de sombras e dragões. Só humanos. Isso não é bom?

A narrativa da Mary é gostosa de ler e super divertida. São frases curtas e com um humor subentendido. O livro já começa com a dose certa de ironia ("Minha mãe comprou uma balança digital para mim."). Aos poucos você vai passar as páginas com um sorriso estampado no rosto. Você vai gargalhar.

A obsessão com a Hayley tem com o peso não é nada doentio, mas a gula que ela tem é. Você acaba se identificando. Qual garota é completamente satisfeita com o corpo?! O jeito que ela encara a ida para a Itália, o país da pizza, os adiamentos com o início de dieta, os planos fracassados de começar uma nova Hayley. Você acaba se vendo na Hayley. Sem generalizações, claro.

A viagem para a Itália não foi tão explorada, nem o relacionamento com o namorado italiano. Achei que começou tarde para um livro pequeno. Comparei com Anna e o Beijo Francês - a viagem, a Europa, o tour, o garoto.

Os livros da Mary não deixam um vazio, uma depressão, ou qualquer outro. Você fica com aquela sensação de quero mais, mas nada que te deixe mal por um dia ou mais. Rostinho Bonito é doce, engraçado, divertido, menos ingenuo que o normal da Mary. São poucos os livros da escritora no Brasil, mas são mt legais! Tão bons quanto os da Meg - e antes de brigar e me chamar de louca, leia!

"Vermelho", eu escrevo, "é a cor da vida. É sangue, paixão, fúria. É o fluxo menstrual e o que segue o parto. Começos e fins violentos. Vermelho é a cor do amor. Corações pulsantes e lábios famintos. Rosas, cartões de amor, cerejas. Vermelho é a cor da vergonha. Faces carmim e sangue derramado. Corações partidos, veias abertas. Um desejo ardente de voltar ao branco."
Página 76 


Ciao,
Per te che mi amano, Girlie Poderosa

16 de jul de 2011

Trash da Ke$ha, tem certeza?

Em era de Lady Gaga, Nicki Minaj e outros artistas baphonicos, qualquer um que cause no Tapete Vermelho (não necessariamente) usando peças não tão dramáticas merece um olhar a mais. É o caso de Ke$ha e seu estilo Trash. A californiana usa roupas "comuns" de um jeito tão largado e tão despretensiosamente desorganizado que consagrou o estilo em 2010 e virou fashionista. O Trash nada mais é que "acordei atrasada, fui atropelada por um caminhão de glitter, mas tenho atitude". Desde que não seja exagerado, não é feio. Só que, deixa eu te contar uma coisa, a linha entre a sutileza e o exagero é muito tênue.

Lembro quando Tik Tok estourou nas rádios brasileiras. E te falo em estouro. Essa era a música do seu despertador, a música do carro de som, seu toque, (o de mensagem era Your love is my drug),era a música do consultório e do elevador, era a que seu vizinho escutava na sexta à noite, a do grupo com gosto musical duvidoso que não usa fone de ouvido. Ke$ha estava em toda a parte, e seu estilo to nem ai já chamou atenção dos editores de moda. A mistura de camisetas de rock grandes e velhas, jeans e shorts rasgados, botas detonadas, peles e plumas, leggings diferentes,animal print, preto e muitos acessórios virou destaque em editoriais. 
A cantora costuma usar tudo junto, e essa é a grande personalidade dos seus looks: a overdose de referencias. Mas nem sempre isso significa que fica bom. Os seus melhores looks são os mais básicos (mesmo assim cheios de plumas, brilhos e preto). Se você é milionária, não se importa com a opinião alheia e é sucesso mundial, o Trash pode ser uma boa opção. Mas caso vc seja uma reles mortal, passar longe de tanta baphonisse é algo bom. Porem não é porque você não é a Ke$ha que não pode se jogar no look maluquinho.


Usar uma peça forte, com peles por exemplo, ou misturar jeans destroyed com t-shirt podrinha, misturar animal print com wet legging... São mil e uma maneiras de usar o estilo sem ficar over e jogada demais. Existe uma grande diferença entre usar camiseta de banda com legging estampada do que usar camiseta de banda com legging estampada de oncinha, shorts rasgados, colete de peles, entende?


O trash é bonito, o trash da Ke$ha nem tanto. Mas a atitude é legal - e Take it off também. Alias, você que escutava Tik Tok e hoje escuta Luan Santana ou Restart - compra um fone de ouvido ou volta a escutar eletrônica, ok?
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

15 de jul de 2011

Beijada por um anjo 2: A Força do Amor

A Força do Amor por Elizabeth Chandler (Beijada por um anjo #2)


"Sei que o perdi... Tristan está morto. Jamais poderá me abraçar novamente. O amor termina com a morte." Ivy Quatro semanas se passaram desde o acidente em que Ivy Lyons perdeu Tristan, o grande amor de sua vida, e deixou de acreditar nos anjos. Os dias têm sido difíceis e para superá-los Ivy busca forças na família e nos amigos. Sua grande motivação agora é ensaiar para a apresentação de piano no Festival de Artes de Stonehill, já que Suzanne, sua amiga de infância, pensando em animá-la, fez a inscrição, mesmo contra a sua vontade. Ainda sem saber lidar com os seus poderes angelicais, Tristan Carruthers conta com a ajuda de Lacey - um anjo mais experiente - para aprender a tocar nas pessoas, canalizar energia e voltar ao passado. Assim, os dois partem na busca por respostas para o acidente, por uma maneira de Ivy sentir Tristan e, principalmente, de mostrá-la que o acidente foi, na verdade, um assassinato. Todo esforço de Ivy para superar a perda de Tristan é interrompido por pesadelos que a fazem reviver o dia do acidente e se misturam com fatos do dia do suicídio de Caroline, ex-mulher de Andrew, marido de sua mãe. O temor de Ivy é acalantado nos braços de Gregory, seu irmão adotivo. Angustiado pelos contínuos pesadelos da amada, Tristan decide que é a hora de fazer contato e segue seu objetivo com a ajuda de Lacey. Mas como aproximar-se de Ivy se ela não mais acreditava em anjos e ele agora era um? O amor que os une será o canal para Tristan se aproximar de Ivy e alertá-la sobre as pessoas que estão ao seu redor. Será que todos em que ela confia são realmente seus amigos?


Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788563219176
Páginas: 233
Comprar
Livros Anteriores: Beijada por um Anjo
---------------------------- Hei, tem spoillers!!!

Eu não colocava muita fé em Beijada por um Anjo 2 - A Força do Amor. E não era só pelo título pra lá de piegas. O primeiro livro da trilogia tinha sido chatinho. A história tinha todo o clima típico de High School, uma história muito previsível, até Tristan morrer. Não sei qual a pior parte: o óbvio ou a morte do protagonista. De qualquer modo, eu não esperava muita coisa d'A Força do Amor e acabei me surpreendendo.

Tristan morreu e Ivy ainda tem pesadelos com a noite no acidente. Quando novos detalhes começam a se formar, novos mistérios vão entrando na história. Mas Tristan, que agora é um anjo, sabe que não foi um acidente "acidental" e que tem muita história por trás. Só que ele não pode protege-lá, então quem cuida dela é o irmão adotivo, Gregory, que está envolvida com a melhor amiga de Ivy, Suzanne.

Como eu disse, eu comecei o livro já achando que ia ser uma água com açúcar, sem graça, sem sal. Mas o mistério que envolve a morte de Tristan, as tentativas de assassinato de Ivy e o suicídio de Caroline, mãe do Gregory, acabam dando ação na história, deixando-a instigante, envolvente e interessante.

Nesse livro, Tristan é irritante. Mesmo morto, ele é possessivo quanto a Ivy, como se ninguém mais pudesse se apaixonar pela garota e ela não pudesse mais se apaixonar por ninguém. Tudo bem que é meio exagerado a quantidade de caras que caem aos pés de Ivy. Tem o Tristan, o Gregory, o Will... O relacionado dela com o irmão postiço é legal e fofo. Ele vive em meio a love games com a melhor amiga dela, mas dá para sentir uma atração maior com Ivy, pelo modo de como ele é carinhoso, atencioso e preocupado com a "irmã". Não é nada meloso.

As melhores partes do livro são as que Lacey, a amiga anjo de Tristan, está presente. Ela foi uma estrelas de televisão famosíssima e é muito engraçada. Nem um pouco preocupada em completar sua missão para poder subir aos Céus, Lacey zoa com todo mundo, faz pegadinhas... Sabe aquela pessoa que perde o amigo mas não perde a piada? Justamente.

Falando em amigos, senti falta do Gary, melhor amigo do Tristan quando ele estava vivo. Ele não aparece em momento algum no livro. Gostava dele, embora fosse um personagem secundário (terciário).

De qualquer modo, a diagramação do livro é linda, só que um pouco confusa. As mudanças de ponto de vista, lugar e data passam de uma linha para a outra, as vezes você se perde. Eu adorei o livro, muito melhor que o primeiro e não vejo a hora de ler Almas Gêmeas, porque o final deixa um super gosto de quero mais e milhares de dúvidas que antes eram certezas.

Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

RESULTADO: Um Amor Para Recordar

Confesso, achei que seria muito mais fácil contabilizar. Sério. Mas tenho o resultado da promoção de comentaristas de junho!
Com uma diferença minúscula, quem ganhou o kit de Um Amor para Recordar foi...

Danielly Wanessa com 15.375 caracteres!

E o segundo e terceiro lugar que levaram kits de marcadores foram...

Bárbara com 15.102 
Dyana Camila com 1.053

Parabéns as ganhadoras! 
Não sei se vai ter outra em julho, mas continuem comentando, vai que eu tenho um crazy moment e acabo premiando o top comentarista sem avisar?
PS: FÉRIAS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!