31 de mai de 2011

TOP 10: Fashion Business

Tá, eu sei que o Fashion Business já terminou. Sim, também sei que o Fashion Rio já tá rolando. Desculpa se estou atrasada - não sou a Hannah Montana: não administro mt bem minha vida dupla (aham, senta lá) - mas enfim, provas acabaram (The dog days are over The dog days are done Can you hear the horses? 'Cause here they come - essa música tá on repeat a uma hora, mais ou menos) e a rotina tá voltando ao normal! Então, um top 10 com as maiores tendencias dos melhores desfiles do evento:
O luxo da Sacada:
Um ótimo equilibrio entre os anos 60, 70 e a atualidade. Um conceito mais jovem que o já conhecido da marca - mas que abranje quase que qualquer público feminino. Nos comprimentos longos e midis, os vestidos apareceram esvoaçantes e estampados. Já os mais curtos vieram em musseline e crochê. Destaque para as aplicações de detalhes dourados (alguns eram minúsculas flores!)
As cores da Cavendish
Numa passarela bem colorida, as cores ficaram mais fortes em estampas com toque étnico. Aposentando o cinto, ícone da ultima coleção, trouxeram as saias longas e crochê - color power! Mas ainda, trouxe variedade nos tecidos: cetim, linhos... Destaque para o mix de estampas!
A fofura da Cholet
Meu desfile favorito #fato! Super feminino, com inspiração bucólica e com fortes influencias de flores campestres - presente nas estampas de folhagens. Dá para dizer que a coleção é até ingênua, de tão fofa! #toapaixonada! Dá para destacar como a melhor parte o color blocking não obvio em tons suaves! Mas as saias longas e os jeans 70's tb são divos!
Os conceitos da Oh, Boy!
Não tem como não gostar de nada na coleção da grife - tem para tds os estilos: do boho ao femme fatale dos anos 70! Florais, rendas, um pouco de transparência aqui e ali fizeram desta coleção uma das melhores. A saia longa, tb estava presente, só que no vestido (pelo menos, na maioria das vezes) de algodão ou seda - estampados ever! Destaque: para a pantalona/macacão e as batas!
O ciganismo floral da Afghan
Inspirado no Brasil, e também com toques 70's, o desfile - a passarela ficou marcada pela estampa floral, cores fortes, rendas nas batas, saias (longas e midis) e vestidos. O anos 70 se destacaram mais nas blusas tomara que caia, pantalona de cintura alta e nas silhuetas.
O chochê colorido da Lix
Impressionante o qt o crochê tão hype! Corrigindo, impressionante o qt os anos 70 estão tão hypes! São eles que trouxeram as peças que super destacaram nas coleções - tanto qt os "tecidos", como o crochê super colorido, destaque da Lix - que focou super no movimento hippie! Como as outras marcas, tb apresentou pantalonas, saia longa, blá-blá-blá... To cansada disso!
A geometria de Carlos Miele
Ele também se inspirou na década - só que tb pensou em Brigitte Bardot qt desenhou a coleção. Trabalhos manuais, como tresses de cinto foram destaque. As cores eram bem fortes, presentes em formas geométricas (até em calça bicolor #abapha). Os famosos vestidos longos apareceram em tecidos phynos, como chiffon de seda e cetim. Destaque para o ecologicamente correto!
A Espanha da Patricia Viera
Alguma que saiu dos anos 70 e foi para bem longe do Brasil: AMEM! Patricia Viera apostou na influencia espanhola, nas jaquetas curtinhas que lembram touradas e no movimento flamengo nas saias longas. Não dá para negar que tb tem influencias latinas: decotes e mts babados! Peças super trabalhadas, cuidadas aos mínimos detalhes, lindas de morrer, sairam do batido anos 70 (embora a silhueta seja um pouco...).
O indianismo de Victor Dzenk
Negar que existe uma ligação entre a coleção de Victor e a Amazônia é o mesmo que dizer que 2+2 não são 4. Exemplos toscos a parte, pinturas tribais transformadas em estampas geométricas que cobrem a melhor parte das roupas - leia-se seus caftãs, vestidos soltos e fendidos, mais blusas de modelagem aberta dominaram a passarela - que tava como o show drama que o público já conhece de Dzenk. 
O color-blocking da Maria Filó
Tava sentindo falta, né? Color-blocking virou tendência maxi, não dá para negar! Embora não fosse o ponto de maior destaque do desfile, foi uma das marcas que melhor apresentou a trend. Com jeitinho bem feminino,  Roberta Ribeiro (estilista) acertou nas modelagens delicadas em tons fofos: rosa, coral, limão, cinza... Acredite ou não: essa foi a estreia da marca nas passarelas!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

30 de mai de 2011

Aprenda com a Bella

Todo mundo sabe que eu não gosto da Bella de Crepúsculo. E não é só ciúme bobo por ela ter o Edward Cullen, sou bem mais argumentada que isso. Sua mania de perseguição, sua bipolaridade e sua unica expressão facial não são características mt conquistadoras nem na literatura nem no cinema. Mas, uma coisa dou o braço a torcer, seu jeito nem ai com a moda é uma ótima inspiração para quem adora aquele estilo mais grunge, típico do inverno, e não caiu de amores pelo lady like do Marc Jacobs.

O guarda-roupa da personagem é composto quase que completamente por tons escuros - esquece o vestido floral em tons de rosa ou laranja, ou então, aquela saia de cintura alta com estampa de cup cake. É uma moda um tanto depressiva, se for pensar a respeito. Mas enfim... Existem 4 peças básicas e chaves (isso não é contra-dizente, né?) que para apostar no Grunge, tem que ter no guarda-roupa.

  • Camisa Xadrez e de preferência um tamanho maior que o seu. Ela é a peça mais consagrada do estilo - não existe grunge sem camisa xadrez #fato (mas existe camisa xadrez sem grunge #outrofato). Em cima de t-shirts, vestido, tanto faz - ela são hits! E, como é inverno/frio/blablabla, as de flanela super esquentam #ficadica - e, se sua cidade não é tão quente, a camisa de algodão é uma ótima opção!

  • Jeans e melhor ainda se for destroyed - não necessariamente rasgado, mas acid wash (aqueles BEM manchados, sabe?!), um modelo com bastante atitude - alias, eles são bem versáteis, né?

  • Jaqueta Acolchoada em tons sóbrios como preto, cinza, vinho, marrom ou verde-escuro são opção super quentes - e bem despojadas. É fácil de combinar - jeans e camiseta resolve! É bem básica!

  • Parka é um casacão com capuz, bolso frontal e cordinha na barra. É uma peça que mudando o modelo ou o complemento se torna completamente diferente - tem umas mais largonas e retas que são feias, mas umas mais estruturadinhas que terminam num pseudo-balonê são mt fofas! Como são mais longas (pela metade da coxa, mais ou menos), vale combinar com meia-calça, legging ou jeans mesmo.
Mas existem ainda alguns detalhes grunges que são um tanto válidos:
Sobreposição de camisetas é fácil: texturizada por baixo (listras...), tshirt de banda por cima - atitude!
All star/ Keds são essenciais e não precisam de comentários!

Detalhes fofos!:
Óculos gatinho em Eclipse
Vestido girlie em Lua Nova - desconsidere a sapatilha
Jóias em Crepúsculo
Ok, sinceramente, eu vou ficar com o lady like do Marc!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

29 de mai de 2011

Sendo Nikki

Sendo Nikki por Meg Cabot (Cabeça de Vento #2)


AS COISAS NÃO ESTÃO BEM PARA EMERSON WATTS. Em tinha certeza absoluta de que não havia nada pior do que ser uma nerd presa no corpo de uma supermodelo adolescente. Mas acontece que ela estava errada. De repente, Emerson descobre que Nikki tem uma mãe que está misteriosamente desaparecida, um irmão que surgiu na sua porta cobrando respostas, um ex-melhor amigo que pretende destruir a Stark Entreprises, e um admirador britânico não tão secreto que está no topo das paradas de sucesso com uma música escrita para ela. Como Em pode equilibrar todos esses problemas e ainda lidar com a escola e os desfiles e sessões de foto? Especialmente com antigos namorados de Nikki aparecendo o tempo todo, querendo mais do que só uma lembrancinha, uma irmã que vai fazer qualquer coisa para entrar no campeonato de líderes de torcida, e com a empresa que paga seu salário aparentemente indo para o lado negro... Sem contar que ela ainda precisa convencer o amor de sua vida de que modelos não são umas cabeças de vento... e uma delas, em especial. MAS NINGUÉM DISSE QUE ELA SE DARIA BEM SENDO NIKKI.


Editora: Galera Record
ISBN: 9788501086679
Páginas: 319
Comprar
Livros anteriores: Cabeça de Vento


Que saudade da Meg! Da narrativa doce, fluida e divertida da rainha do YA book. Faz tempo que não lia nada dela. A última vez foi em dezembro com Cabeça de Vento, o primeiro dessa série. Então, já alerto: essa resenha possivelmente terá spoillers.


Em está trabalhando como modelo no lugar de Nikki, continua apaixonada e não correspondida por Christopher, ao contrário de Brandon Stark e Gabriel Luna, que gostam dela. Além disso, Steven - o irmão gatissimo da Nikki - aparece em Nova York com a notícia que a mãe deles está desaparecida. Uma família para se preocupar já não é suficiente? Aparentemente não. Frida, a irmã mais nova com tendência a integrar o grupo de morto-vivos do colégio, vive deslumbrada por agora se intitular uma A.D.N. (Amiga da Nikki) e ser reconhecida até pela Lulu - melhor amiga da Nikki.
" - Hum... Aparentemente não - falei. Eu não tinha ideia do que ele estava falando, até porque eu não era realmente sua irmã. Ela estava morta. Ou, pelo menos, seu cérebro estava mergulhado em formol num vidro em algum lugar nas estantes do Instituto Stark de Neurologia e Neurocirurgia, mesmo que todo o restante dela esteja andando por aí com meu cérebro, usando seus cartões de crédito e fazendo espressos para o irmão.
O que fazia dela morta o suficiente.
Só que eu não podia contar isso a ele."
Página 55
"O fato era que eu estava sendo forçada a trabalhar para um empresa que tinha certeza de que era responsável por transformar a América em um interminável shopping sem alma.
E o cara que eu gostava não sabia que eu estava viva. Literalmente.
Além disso, se eu contasse a ele que não estava morta, a Stark Entreprises, que com quase toda a certeza estava me espionando sempre que possível colocaria meus pais na cadeia.
Ah, sim, e meu cérebro foi removido do meu corpo e colocado no de outra pessoa."
Página 14
Eu adorei Cabeça de Vento, mas Sendo Nikki é muito melhor. Já falei milhões de vezes e volto a repitir: prefiro os livros da Meg que tenham inicio, meio e fim em um unico volume. Mas, quer saber, Cabeça de Vento não se encaixa nesse conceito. A série é maravilhosa - e olhe que não sou muito fã de sci-fi!

A Em/Nikki é uma personagem típica da Meg: divertida, engraçada e dramática. Só não entendo sua paixão pelo Christopher. Por qual motivo, razão ou circunstância uma garota que tem a versão inglesa, sem franja e mais velha do Cody Simpson à seus pés e que declara "Eu te amo, Nikki" para quem quiser ouvir ainda é apaixonada pelo melhor amigo nerd da sua vida antiga que está se tornando um super vilão. Tá, ele tem seus momentos fofos - mas isso até o Brandon grosso Stark tem.

A história assume um rumo diferente: mais suspense e cheio de mistério e bem surpreendente - coisa não mt comum nos livros da titia Cabot, que embora perfeitos, são bem previsíveis. Quem me segue no twitter (@GirliePoderosa - sou mt simpática!) viu o quão entusiasmada eu fiquei com a história - até chegar ao final. Meg, querida, você me magoou e decepcionou muito! Ler em inglês não é meu hobby favorito, mas vai ser difícil esperar Runaway ser lançado no Brasil - sabe quando vc fica nervosa, angustiada e fica se imaginando rasgar o livro pela metade (juro, eu pensei em fazer isso em um momento de fraqueza) de tanta frustração, tensão e expectativa?

O livro é perfeito, maravilhoso e vc TEM que ler! Tá, a Miley Cyrus virou Miles Cyrus - mas desconsiderando esse único erro de cultura pop, sem palavras (claro, como vou ter palavras com um bolo na garganta enorme)! Vou ler o final de Como ser popular ou então de Ídolo Teen (ou dos dois) para ver se perdoo a Meg.

Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

28 de mai de 2011

Lição de Estilo #15: Chelsea Kane Staub

Estou atrasada e desaparecida, não me julguem! Quarta-feira volta ao normal (*-* Dog days are over!), mas por enquanto vai postando enquanto dá - e qd o blogger ajudar, por que vou te contar hein! Mas reclamações a parte...

Chelsea Kane Staub ficou famosa por interpretar a Stella de J.O.N.A.S. e Meredith de Bratz e desde então é destaque em Red Carpets. Não é fácil vê-la com visuais casuais nas ruas de Los Angeles, então esse Lição de Estilo número 15 vai ser com looks mais festa: formaturas, 15 anos, baladas ou qualquer coisa mais ajeitadinha que aparecer!
Esse look tem sido bastante visado, né? Mas é lyndo! As listras horizontais coloridas nem sempre ficam bem - algumas vezes ou engorda ou fica brega (ou ambos), mas dessa vez não ficou. Por que? a) Fundo escuro quebra e b) A fitinha que marca a cintura ajusta mais á silhueta. Phynna!
Eu não apostava mt que ela fosse ficar bem de amarelo, mas até que ficou legal! O modelo tomara que caia com saia tulipa é uma peça bipolar: em alguns casos ele chega a aparentar mais magra, em alguns o efeito contrário. O amarelo já foi cor sensação, hoje não é mais tããããão forte. A clutch com detalhes dourados é super phyna e o scarpin nude alonga a silhueta. Só que o bico podia ser redondo, né?
Sabe aquele modelo que é justo, mas não é bandage? São os melhores em questão de versatilidade: ele não marca o corpo, é feminino... O mix de azul claro com tons de rosa (do bebê ao pink) fica mt lindo! O cintinho fino em azul bebe é só pra dizer que tá usando, já que não faz lá grande diferença. Detalhe: uhuul, arredondou o bico do scarpin nude!
Quaisquer comentário não fará jus à perfeição do vestido, mas mesmo assim vou tentar: Já falei o quanto nude e preto é lindo - principalmente se for renda preta! Tem um jeitinho mais boudouir (falei aqui, souvenez-vous?) que é super divo! Ainda por cima, armado com saia de tule preta e busto assimétrico. Ok, não fez jus nenhum.
Um look mais casual e completamente simples, mas que de algum modo, ficou fashionista - aposto que por culpa da sandália diva! Total black é elegante, já perdeu aquela coisa de que vestir só preto é coisa de emo/gótico.
Eu diria que tem um Emma Roberts feelings ai, mas seria mais correto dizer que no look da Emma Roberts (esse aqui - que tá na Lição de Estilo #2) que tem um Chelsea Staub feelings. Branco, tomara que caia e cheio de babados - esse vestido é master girlie. Só cuidado com o volume no quadril - não é pouco. O mary jane branco combina super nessa coisa de bonequinha. HELP: onde que acho um tapete rosa igual a esse para vender? #euquero
Eu amei esse vestido/macaquinho florido - é leve, feminino e fashionista! O fundo preto, do mesmo modo que o primeiro vestido, ajuda a destacar a estampa e não deixa ela expandir. Agora, cá entre nós: amo clutch, esse rosa bebê é um amor, mas precisava ser tão comprida? Parece aqueles sacos de pão! #PoisonGirl
Pegue aquela sua t-shirt branca básica e faça um look bem conceitual, assim como a Chelsea. Como? Misture o girlie do shorts de cintura alta com estampa floral e um blazer boyfriend. Não tem erro! É super fashion! (Com exceção do bico fino, certo?).
É regra: todo mundo tem que ter uma peça de paêtes no guarda-roupa!!! Não tem discussão, é tão essencial qt calça jeans - não, peraí, tem gente que não usa calça jeans, vou reformular: é tão essencial qt sutiã! E não, não é exagero da blogueira maluca aqui! Vale ser colete, jaqueta, vestido ou saia, como fez a Chelsea. Para não ter erro e ficar parecendo a Clô, é só saber como combinar: nada de juntar com outras peças espalhafatosas! A blusinha branca básica não tem erro. Vale ser tb preta, nude, mescla ou, se o paête for preto, vale a blusa colorida LISA! Mix de pulseiras é fashion - mas aquela exclusa lá no cotovelo é tensa, convenhamos!
Day by day na medida do possível. A blusa amarela (de novo no amarelo!) assimétrica é o destaque do look, alem do ponto de cor, obvio! Agora, é estrela de Hollywood, descer do salto never!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

PS: Últimos dias para a promoção de Hathor - vai lá!

26 de mai de 2011

O Poder do Fogo

O Poder do Fogo por Khêder Henrique


“Você já pensou em possuir o Poder do Fogo?” O Grande Teste – uma série de provas práticas e teóricas realizadas para definir o rumo profissional de um estudante – será realizado dentro de um mês em Diaspos, uma vila rural que fica ao sudeste do mítico continente de Myruna. Todos os jovens estão empolgadíssimos com a aproximação desse evento. Menos Kiara Ancessus. Entretanto, tudo pode mudar quando o forasteiro Lucius Veniaga chega ao vilarejo com o desejo de estudar com a misteriosa Elemiah Mirone, uma elementar aposentada. Os elementares são indivíduos com habilidades únicas e fascinantes, tais como manipular os elementos da natureza conforme sua vontade. Dividida entre o desejo de agradar a seus familiares e a vontade de encontrar uma atividade na qual sinta prazer e desenvoltura em desempenhar, Kiara iniciará uma jornada de aventuras e descobertas onde enfrentará surpreendentes desafios.


Editora: Novo Século
ISBN: 9788576794257
Páginas: 240
Comprar

O maior contato que tive com elementos foi em House of Night, o que não é algo mt aprofundado, já que o grande foco é em vampiros (antes da série se perder, pelo menos), então eu tinha grandes expectativas qt O Poder do Fogo. Embora eu ame livros de vampiros e anjos, mitologias diferentes e não tão exploradas são sempre uma boa opção. Peraí, são?

Kiara não tem dom para trabalhos artesanais, fazer espadas não é com ela, ser amazona tb não é uma das suas qualidades e ela não quer seguir a carreira do pai e cuidar da fazenda da família. Viajar para continuar estudando não era opção, sua família (o pai e o avô) não tinham recursos para tal. Isso até chegar no povoado de Diaspos, Lucius, um garoto que viajou quilômetros para encontrar Elemiah, uma famosa elementar do lugar. Elementares são pessoas que dominam os elementos (agua, fogo, terra, ar e suas variações: luz, sombra...).

Disposto a seguir nessa carreira, Lucius convence Kiara a se tornar aprendiz de elementar junto com ele, já que Elemiah não aceita um único aluno. Durante 18 meses, morando na torre de pedra da elementar, se envolvendo em aventuras e problemas...

O livro tinha tudo para ser uma daquelas histórias instigantes, inovadoras, que te tira o ar e não te deixam fazer outra coisa até devorar o livro. A história tem ótimos elementos (to adorando os meus trocadilhos!), personagens bastante interessantes, um campo gigante de rumos que a narrativa podia ir. E foi? O autor não soube se aproveitar dessas características. Sim, O Poder do Fogo tem bastante aventuras, deixa alguns mistérios aqui e ali - mas é isso, a história fica presa em dois, três capítulos em uma unica cena. E aquele aprofundamento na mitologia dos elementos não é nada fora do comum, que vc ainda não saiba.

Os capítulos tem uma média de vinte páginas, o que normalmente me irrita, mas dessa vez eu gostei, foi bastante útil. Já expliquei que estou em provas e o tempo para ler diminui bastante, então me limitei em dois capítulos por dia, o que fez a leitura render e ser mais rápida.

Como eu já disse, os personagens são bastante promissores: Lucius é uma espécie de Hermione e Elemiah, embora pareça com a bruxa má do oeste, não é tão horrível. Kiara, não me lembrou nenhum personagem em especial - ela não tem aquelas características típicas, mas isso não faz dela alguem espetacular.

O livro deixa os gancho para um segundo volume, algumas perguntas sem respostas, curiosidade no ar e uma nova aventura em vista. O livro é bom! Melhor que razoável, mas não é espetacular. Uma leitura legal, interessante, mas não perfeita.

Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

24 de mai de 2011

TOP 10: Minas Trend Preview

Sei que estou mega atrasada para falar do Minas Trend Preview, mas não é pq deixei passar alguns dias (dias sim, não chegou a ser duas semanas!) que não vou falar sobre o assunto, afinal, o evento é a largada inicial para o turbilhão de desfiles que lançam as tendências da próxima temporada (temporada, não estação hein!). Separei os dez melhores looks que cruzaram a passarela - quer ver um "preview" (trocadilho mt inteligente!) do verão? (PS: Não tá em ordem!)
Alessa: Vestido longo e estampado! 
Composto principalmente por vestidos, a marca investiu nas estampas mais naturebas, vide folhas e flores. O modelo da foto, é o melhor da coleção na minha humilde (aham, Claudia, senta lá) opinião. Drapeado, com estampa de cores mais sutis, tecido phyno, fluido... Um ahazo! Detalhe: os arranjos de cabeça das  modelos - é a dramatização das passarelas, benhe!
Aurea Prates: Transparência e Renda!
Cheia de vestidos tubinhos e cinturas marcadas (não no msm look, necessariamente), a coleção esbanjou feminilidade e leveza. As peças vieram cheias de transparências e rendas: como a da foto, que uniu praticamente tds os elementos da estilista, exceto os bordados. Repare: a renda não é mt obvia!
Chouchou: Diversão estampada!
Eu e meu lado criança surtamos pela coleção da Chouchou! Cheia de estampas divertidas (vide melancia, jogo da velha), cintura alta (saias evasês e hotpants), t-shirts, cores fortes... Perfeita! Foi difícil decidir, mas o melhor look foi esse: saia evasê estampada, t-shirt curtinha com estampa de Spider Man e colete de mangas da mesma cor da camiseta. #euquero
Blue Banana: Anos 80, hippie e gipsy
Um desfile cheio de informação - eufemismo na area! Tá, regras portuguesas a parte, a passarela ficou master colorida, cheia de itens fortes e tendências gritantes. Para uma passarela, não fica tão gritante - mas na rua, uma composição dessas é tensa! Mas eu gostei! Esse look reuniu vários pontos fortes: saia longa com estampa étnica, colete de babados mais gipsy (para qm não sabe, gipsy=ciganismo) e milhares de acessórios. Alem disso, a coleção veio cheia de pantalonas, estampas psicodélicas...
DTA: Jeans rasgado com estampa leve
Não achei palavra melhor para substituir o leve. Pensei em suave, doce, fluida... Mas leve é a que mais chega perto do que quero dizer: hi-lo! Enquanto no mesmo look tem peças jeans rasgadas, tem as suaves peças de tecido fluido com estampa delicada - vide a camisa jeans sem manga com a saia longa! Não uso, mas acho lindo!
GIG: Mix de texturas no High-Low
Outra que apostou no hi-lo com diferença nas texturas e tecidos (na verdade, esse é um ponto trendy da próxima temporada: várias marcas apostaram). O melhor look da GIG foi o tricot nude com detalhes aplicados e shorts metalizado. Alem da brincadeira do phyno-básico dos tecidos, teve tb o detalhe da parte de cima nada, de baixo tudo! #ficadica
Patogê: Mais high-low
Falei que essa foi a grande aposta, não falei?! Esse não foi o look mais bonito - mas foi o mais conceitual! Crochê foi a peça mais rústica, artesanal... Já o short, que tem uma leve saruel, é metalizado, dourado e brilhoso: oposto da blusa. Detalhe para a summer boot: acho pesadas - embora o salto de palha tipo espadrille tire um pouco disso, continuo não gostando.
Patrícia Motta: Color blocking não obvio
O color blocking está cada vez mais forte, e apareceu bastante - mas meu favorito foi o da Patrícia Motta, que não ficou obvio. O motivo? As cores não foram tão fortes - mais puxadas para tons pastéis. Esse look tem cores bem sweets, né? A blusa ombro-único salmão e a hot pants com estampa de cobra azul bebê não contrastaram mt, ainda mais por causa do cinto vermelho. Detalhe: a echarpe esteve presente em qse tds os looks da estilista!
Última Hora: Mix de Texturas
Um desfile bem bonito, com fortes traços dos anos 70, bastante ciganismo... Mas enfim, o que mais se destacou foi o mix de texturas! O look da foto misturou o crochê com o brilho do vestido, bem hi-lo. Vários e vários acessórios. Destaque: a ankle-boot branca diva!
Vivaz: Um bônus phynno!
Me apaixonei pelo desfile da Vivaz, #fato. Super elegante, chique, phynno - gente, é mt loosho! Bordados, sobreposição, cintura marcada, saia rodada, degradê, recortes, camadas, pérolas, azul turquesa, cinza, off white, transparências, tecidos fluidos, bailarina, tule. Não preciso nem dizer pq escolhi esse vestido, né?

  • E como acessórios são essenciais...
Super destaque para as bolsas color blockings do Rogério Lima!
Bjs,
Para vc que me ama, GirliePoderosa

23 de mai de 2011

Sorteio: A Ultima Música

Como eu falei ontem na resenha de A Ultima Música (não leu ainda? Aqui) a editora Novo Conceito enviou dois kits de A Ultima Música, mt lindos! Em uma caixinha que imita piano, tem o livro + colar com pingente de nota musical mt fofo! Foto:
Não vai perder a chance de participar, né?
Regras:

  1. Ser seguidor PUBLICO do blog;
  2. Deixar um comentário neste post validando a participação;
  3. Ter endereço de entrega no Brasil;
  4. Preencher o formulário corretamente aqui;

Chances Extras (a cada participação, uma entrada a mais) :

"#Sorteio Eu quero A Ultima Música que a @GirliePoderosa e a @Novo_Conceito estão sorteando! http://t.co/DVA6e1j"


Não vai perder essa chance, né? A promoção vai até 01/07/11 as 23:59hrs. O sorteio será realizado no dia 02.
Alem disso, ainda tem a promoção de Hathor do Markus Thayer!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

22 de mai de 2011

A Ultima Música

A Ultima Música por Nicholas Sparks


Aos dezessete anos, Verônica Miller, ou simplesmente Ronnie, vê sua vida virada de cabeça para baixo, quando seus pais se divorciaram e seu pai decide ir morar na praia de Wrightsville, na Carolina do Norte. Três anos depois, ela continua magoada e distante dos pais, particularmente do pai. Entretanto, sua mãe decide que seria melhor para os filhos passarem as férias de verão com ele na Carolina do Norte. O pai de Ronnie, ex-pianista, vive uma vida tranquila na cidade costeira, absorto na criação de uma obra de arte que será a peça central da igreja local. Ressentida e revoltada, Ronnie rejeita toda e qualquer tentativa de aproximação dele e ameaça voltar para Nova York antes do verão acabar. É quando Ronnie conhece Will, o garoto mais popular da cidade, e conforme vai baixando a quarda começa a apaixonar-se profundamente por ele, abrindo-se para uma nova experiência que lhe proporcionará uma imensa felicidade – e dor – jamais sentida. Uma história inesquecível de amor, carinho e compreensão – o primeiro amor, o amadurecimento, a relação entre pais e filhos,o recomeço e o perdão.


Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788563219077
Páginas: 383
Comprar


Alguém pode me explicar como vivi até hoje sem nunca ter lido Nicholas Sparks? Eu já achava um grande buraco cultural sem ter lido nada do autor, dps das 383 páginas de A Ultima Música, já estou chamando de alienação mesmo.

Ronnie era uma garota pacifica, dedicada a tocar piano, que tinha vaga garantida em Julliard, até que seus pais se separam, ela fica morando com a mãe em Nova York enquanto o pai vai para Wrighsville, na Carolina do Norte (que na verdade fica no sul, vai entender). Revoltada com a situação e a traição/abandono do pai, Steve, ela promete para si mesma nunca mais tocar piano, e começa a se envolver com gente delinquente e inconsequente - chegando até a praticar furtos por diversão.

Quando é obrigada a passar o verão com o pai, Ronnie se fecha completamente, até se envolver com Blaze, Markus e sua turma - a galera "do mal" da cidade. Se metendo em encrenca, sem falar com o pai, defendendo tartarugas e crianças choronas, aquele vai ser de um modo o melhor, de outro o pior verão de Ronnie.

Eu simplesmente AMEI o filme, e tinha expectativas mt altas qt ao livro. Qd comentei no twitter (segue: @GirliePoderosa) que tinha chegado um kit lindo da Novo Conceito com A Ultima Música (veio pra vcs tb, posto foto na promoção amanhã), mt gente mandou reply dizendo que o livro era maravilhoso, perfeito, o melhor do Nicholas. "Tá, o livro é perfeito!" - Eu peguei o livro esperando a perfeição!

Perfeito, perfeito, o livro não é. Eu amei, é favorito S2 e tals, mas não é perfeito. a) Livro perfeito é narrado em primeira pessoa, pelo menos para mim. Tá, e se fosse narrado em primeira pessoa, devia ser pelo Jonah, o irmão caçula da Ronnie - ele é meu personagem favorito (tanto no filme qt no livro), ele me ganhou com "Não sou mais criancinha. TPM significa Todos os Problemas Misturados" - ok, essa é velha, mas vindo dele veio fofo! A Ronnie até que seria uma boa narradora, só que só no inicio, em sua fase mais revoltz - dps apaixonada devia ser chatinha.

Foi difícil desvencilhar os personagens dos atores. O único que criei minha própria versão foi o Will, pq nunca vi ele como o Liam. Para mim, ele sempre foi o namorado da Miley e ponto. O resto, os atores fizeram um teatrinho particular pra minha pessoa. (Aham, vai sonhando)

Enfim, o livro é perfeito, maravilhoso e me fez chorar horrores. Sabe qd vc chora mas consegue se recuperar? Psé, td vez que as lágrimas cessavam, os olhos embaçavam DE NOVO, e de novo e de novo. A narrativa é envolvente, a história é linda, e os suspiros e lágrimas são inevitáveis, já vou avisando. Repito: como vivi sem Nicholas Sparks até hoje? To louquinha pra ler Um amor para recordar que a Novo Conceito lançou esse mês - melhor filme ever, melhor livro ever, certo?!

Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

21 de mai de 2011

RESULTADO: Crescendo - Becca Fitzpatrick

E acabou...
Gente, passou rápido, não?
E não vou delongar - quem levou Crescendo da Becca Fitzpatrick em parceria com a @lojadoaltivo foi...

Luiz Felipe Matos
Parabééééns! Vc tem até as 15 hrs de terça-feira para responder o email, caso contrário, será realizado outro sorteio.
Não foi dessa vez para quem não levou - mas tem mt coisa legal a caminho (e no ar, né? Tem Hathor do Markus Thayer) - e segunda-feira já tem promoção nova!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie
_____________
Esse sorteio foi um patrocínio de Loja do Altivo.

20 de mai de 2011

Alerta de Tendência: Maxi Tricot

Dentre todas as peças típicas do inverno, a maior must have é COM CERTEZA o maxi tricot. Você já reparou o qt ele tá forte? É a peça chave de várias coleções, a escolha certeira de fashionistas e destaque em inúmeros editoriais famosos de moda. Quentinho e versátil, o maxi tricot vai entrar no seu guarda roupa esse inverno, é ordem!

Eles são bem democráticos. Por ser de um tamanho maior que o normal, eles ajudam a disfarçar aquela gordurinha indesejada. Alem disso, são peças trendys que combinam com (quase) tudo! Junto de wet leggings  e ankle boots fica super descolado; Com peças de couro ele fica mais ousado; Com saia em geral fica legal, mas com longa fica mt mt mt lindo - e tem várias it girls usando. E se quiser usar com o básico e velho jeans, tá liberada - combinar maxi tricot é mt fácil!

As peças são feitas a partir de fios lanosos, que misturam outros componentes para deixar a lã mais fina (com F mesmo) e agradável ao nosso clima. Algumas delas relembram a moda dos anos 70, com destaques para franjas que dão um ar mais latino e boêmio - além da leveza!


Vale maxi tricot liso (do branco ao color blocking - falei aqui, lembra?), listrado a la Chanel... Enfim, tendo é a conta! Eu preciso de um méscla (pra variar, né?) urgentemente! Achá-los é super fácil: tem desde as lojas grifadas da Oscar Freire até lojas de departamento! Na coleção da Cris Barros pra Riachuelo tem modelos lindos, vale conferir!

PS: Vou avisar antes de estranharem: provas na area! Minha escrivaninha tem mais fórmula do que revista, o que é bem frustrante. Então, talvez vai falhar post em algum dia, mas não demora e volta ao normal - com super hiper mega ultra surpresa!! *-*
PPS: HEY, hoje é o ULTIMO dia pra participar do sorteio de Crescendo da Becca Fitzpatrick (resenha aqui), não perde tempo de ganhar chances para continuar acompanhando o Patch e a Nora!
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa