22 de dez de 2011

Um homem de sorte por Nicholas Sparks

Um Homem de Sorte

“Mas não estava em outra época e lugar, e nada daquilo era normal. Trazia a fotografa dela consigo há mais de cinco anos. Atravessou o país por ela.” “Era estranho pensar nas reviravoltas que a vida de um homem pode dar. Até um ano atrás, Thibault teria pulado de alegria diante da oportunidade de passar um fm de semana ao lado de Amy e suas amigas. Provavelmente, era exatamente isso de que precisava, mas quando elas o deixaram na entrada da cidade de Hampton, com o calor da tarde de agosto em seu ápice, ele acenou para elas, sentindo-se estranhamente aliviado. Colocar uma carapuça de normalidade havia-o deixado exausto. Depois de sair do Colorado, há cinco meses, ele não havia passado mais do que algumas horas sozinho com alguém por livre e espontânea vontade. (...) Imaginava ter caminhado mais de 30 quilômetros por dia, embora não tivesse feito um registro formal do tempo e das distâncias percorridas. Esse não era o objetivo da viagem. Imaginava que algumas pessoas acreditavam que ele viajava para esquecer as lembranças do mundo que havia deixado para trás, o que dava à viagem uma conotação poética. prazer de caminhar. Estavam todos errados. Ele gostava de caminhar e tinha um destino para chegar.

Autor: Nicholas Sparks
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788563219138
Páginas: 352
Nota: 
Comprar

O primeiro livro que li do Nicholas Sparks foi A Última Música (resenha) que eu amei, achei lindo e chorei muito. Já o segundo foi Um amor para Recordar (resenha), filme que amo e livro que me decepcionou. Depois disso, fiquei receosa quanto ao autor, que mesmo recebendo vários elogios, não me conquistou de inicio. Com um pé atrás, li Um Homem de Sorte, o lançamento mais recente de Nicholas no Brasil pela Novo Conceito, e sabe de uma coisa, eu gostei.

O livro conta a história de Thibault, um soldado que depois de sair da guerra parte em busca da mulher de uma foto, que foi como um amuleto de sorte para ele durante a época que esteve no Iraque. Depois de atravessar o país a pé, ele finalmente a encontra. Beth é uma professora, divorciada que mora com o filho e a avó que tem um canil. Como precisava de um emprego, Thibault começa a trabalhar para Nana (a avó), numa tentativa de se aproximar de Beth.

O inicio da história é bastante lento, cheio de recordações do tempo em que o personagem esteve no Iraque. Toda essa atmosfera de guerra já foi apresentada por Nicholas em Querido John, e de certo modo, é bastante perturbadora. Você acha horrível só de ver os documentários, os comentários e os relatos. Imagina estar lá e ver seus companheiros morrerem na sua frente, sem não ter certeza de que estará viva nos próximos minutos. Isso fez o Thibault ganhar bons pontos na simpatia com o leitor.

O relacionamento entre o personagem principal com Beth é bem calmo, sem pressa, uma sutileza que combina com a narrativa. Por ser uma figura estranha, sem explicações e sem nenhum motivo racional para caminhar milhares e milhares de quilômetros (gosta de caminhar? aham, senta lá), Thibault não ganha a confiança de Beth logo de inicio. O que faz bastante sentido, se for pensar. Personagem racional? YAY!

Ben, filho de Beth, é um dos meus personagens favoritos - adoro as crianças que Nicholas coloca no seus livros. O drama do livro é equilibrado com algumas tiradas bastante inteligentes tanto de Ben como de Nana. Além disso, tem Clayton, o, diga-se de passagem, vilão do livro. Geralmente, a literatura dramática apresenta como vilã a própria vida do protagonista, as próprias ações do personagem que levam para aquele caminho. Clayton, ex marido de Beth, só faz intrigas para dificultar o promissor romance.

Não chorei, não fiquei tocada, mas gostei. Nicholas Sparks consegue passar uma mensagem para o leitor, isso é fato, algumas marcam, outras nem tanto. Mas Um Homem de Sorte é uma história boa, interessante, e por certo ponto de vista, é linda. Simplesmente não é minha favorita. O filme inspirado no livro, estrelado pelo lindo Zac Efron, saí em maio de 2012.
Bjs,
Para vc que me ama, Girlie Poderosa

3 comentários:

  1. Parabéns pela resenha Girlie! Estou ansiosa para ler Um Homem de Sorte! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Tenho algum receio em ler os livros do Nicholas pq os filmes me fizeram choras, e mto!
    Este parece não ser tão intenso como os outros, mas deve ser lindo tb..alias nao gostei mto da capa....

    bjus

    ResponderExcluir
  3. Jo, que resenha perfeita essa! ATÉ que enfim um vilão!

    Adorei o que vc escreveu > "Geralmente, a literatura dramática apresenta como vilã a própria vida do protagonista, as próprias ações do personagem que levam para aquele caminho. Clayton, ex marido de Beth, só faz intrigas para dificultar o promissor romance."

    Será que Nicholas está mudando o rumo de suas histórias?

    Talvez seja melhor!

    xoxo!

    Ansiedade pelo filme tbm!

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!