19 de fev de 2011

Entrevistando: Janaina Rico

Oi garotas,
Vcs se lembram do livro Ser Clara [Resenha aqui]? Psé, esse FDS uma entrevista exclusiva com a autora, Janaina Rico!
Girlie Poderosa: Fale sobre Ser Clara?

Janaina Rico: O “Ser Clara” é uma das coisas que mais tenho orgulho de já ter feito. Ele foi lançado em 2009, e ainda hoje me emociono todas as vezes que vou falar dele. Escrever um livro é uma aventura. Eu sento na frente
do computador sem ter a menor ideia do que é que vai brotar. Quando comecei a imaginar a Clara, tudo o que eu tinha em mente era uma garota cheia de vida e que se amasse muito, pois acho que todas as mulheres de 27 anos devem ser assim. Quando eu o reeleio, me pego pensando “caramba, que legal, fui eu que escrevi”.

GP:De onde veio a inspiração para escrever o livro?
JR: Das minhas amigas. Juntei um pouquinho dos namoros de todas elas e criei a vida amorosa da Clara. Toda mulher é meio parecida com ela, ou pelo menos gostaria de ser. E eu tinha muita vontade de ler um chick lit que se passasse no Brasil, e que as piadas e os eventos fossem perfeitamente entendidos pelas brasileiras. Sou fã de Marian Keys e Sophie Kinsella, e sempre achei que o Brasil merecia ter algo semelhante. Como sou muito exibida, me candidatei a vaga! (risos)

GP: Como foi para compor os personagens?
JR: Na verdade foi a parte mais fácil. Eles foram surgindo naturalmente. A melhor amiga da Clara é muito “cri-cri”, inspirada abertamente na minha amiga Máyra. O João Thomaz é o homem dos sonhos de toda mulher. Criei aquele cara que todo mundo deseja encontrar, mas ele só existe nas novelas. O Léo é um cara sensacional, que busquei um pouquinho no meu primo Rafa, um pouquinho no meu irmão Luiz Antonio. A Natália, chata, copiei a minha chefe à epóca, que prefiro não dizer o nome pois posso entrar numa roubada! E a Clara é tudo aquilo que eu sempre tive vontade de ser, mas nunca tive coragem.

GP: E a escolha do titulo? Foi difícil?
JR: Foi muito difícil. É complicado resumir tudo em uma só frase. Fiquei muito tempo decidindo e fiz até votação com os amigos. Mas no final das contas fiquei satisfeita.
GP: Ser Clara é de ser franca ou de ser ela mesma?
JR: As duas coisas. Ah, nem sei explicar! (risos) Acho que ela é muito franca, e muito Clara. O nome dela surgiu pois quando eu estava grávida fizeram uma piada com esse nome, e eu fiquei com ele na cabeça. Ih, fugi da resposta...
GP: Chick lit é um estilo literário que ainda sofre preconceito. Por que escolheu esse gênero?
JR: Sou uma leitora compulsiva de chick lit. Tenho uma biblioteca invejável do estilo, com títulos ingleses, irlandeses, franceses, chilenos, suecos, alemães... Aprendi com o escritor Felipe Pena que escrever fácil é muito difícil. Conseguir criar um texto de mais de 300 páginas como a Marian Keys faz, contando as angústias e alegrias de mulheres comuns e prender a atenção do leitor o tempo todo é tarefa pra leão! Muita gente pensa que é moleza, mas estão enganados. E o chick lit traz aquela coisa romântica, de final feliz. Quem é que não deseja um final feliz para a sua história? Respeito muito os dramalhões, mas eu gosto de um mundo onde as pessoas se respeitam, se amam e se divertem. Gosto de ler para ficar feliz e não para sofrer as dores do mundo, por isso o chick lit é delicioso.
GP: Quando soube que queria escrever profissionalmente?
JR: A primeira vez que pensei em escrever um livro eu tinha doze anos. Meu pai é escritor e minha casa sempre foi cheia de escritores. Então a ideia não era um bicho de sete cabeças. Lembro que o título que eu queria colocar era... Ah, não vou contar! Vai que eu resolvo escrever o livro? Ele era muito legal! (risos) Mas, eu cresci e fui amadurecendo a ideia. Mas sempre escrevi contos e crônicas, e passei a ter uma coluna no site Mundo Mulher (escrevo para lá desde 2008). Então, um dia me deu uma coisa doida e resolvi escrever o meu primeiro
livro. Demorou um ano. Quando ele ficou pronto enlouqueci de vez. Sai mandando pra tudo quanto é editora, e nada de ninguém me responder. Até que um dia, a Pedro&João Editores me mandou um e-mail muito fofo, dizendo que tinha amado o meu livro, e que iria publicar. Mas eu ainda não achava que era uma escritora de verdade. Na época eu era servidora pública federal e odiava o meu trabalho com todas as minhas forças. Fazia tudo o que tinha que fazer bem rapidinho para passar o meu tempo livre escrevendo. E no dia que eu vi o Ser Clara pronto, todo lindo com o meu nome estampado na capa, vi que aquilo ali é que era para ser a minha vida. Resultado: sai do emprego e me tornei escritora 24 horas! Hoje sou muito feliz com a minha profissão.

GP: Você é formada em direito. Qual a relação da advocacia com a literatura?
JR: Muitos advogados escrevem, mas no meu caso não tem relação nenhuma. Eu abandonei a carreira (era professora de Direito Constitucional e de Direito do Trabalho). Graças a Deus tem muito tempo que não pego em um  código. Fiz um curso superior que não tinha nada a ver comigo.

GP: Boa parte dos leitores de Chick Lit lêem mais livros estrangeiros que brasileiros, acha que isso se deve a algum tipo de preconceito com a literatura brasileira? Ou seria certa falta de divulgação?

JR: Com certeza falta de divulgação. As grandes editoras brasileiras preferem a literatura estrangeira, não consigo entender o motivo. É difícil concorrer. Eu acredito que tem espaço para todo mundo, e que temos que fazer uma grande campanha de incentivo aos autores nacionais. No meu site (www.janainarico.com.br) tenho uma campanha “Leia Brasil”. Temos grandes nomes aqui, como Stela Florence que além de ser minha amiga é uma escritora fabulosa. Outro que já citei é Felipe Pena. Seu livro “O Marido Perfeito Mora ao Lado” é fantástico! Enderson Rafael com o seu “Todas as estrelas do céu” é um fenômeno na internet. Vamos valorizar o que temos aqui, minha gente! Ah, e tem uma tal de Janaina Rico que escreveu um livro bacana, chamado “Ser Clara” (risos).

GP: Quando vai ter novidades suas nas livrarias?
JR: Acredito que ainda no primeiro semestre de 2011. Todo mundo cruzando os dedinhos, hein?
GP: Por fim, deixe uma mensagem para suas leitoras?
JR: Por favor, comprem meu livro! (risos) Beijos!
Viram? Outro super motivo pra add Ser Clara no seu carrinho, né?
PS: O sorteio dos marcadores teve somente 3 inscritos, então todos as três vão ganhar!! 
Bjs,
Para vc q me ama, Girlie Poderosa

2 comentários:

  1. Eu lembro da sua resenha, e o livro de ser ótimo mesmo!

    Fiquei super feliz de ter ganhado!!!

    beijão meu anjo.

    alannastefany@live.com
    quinze-primaveras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Hmmm gostei gostei.

    Vou procurar o livro =)

    Bejinhos e te aguardo (:
    blog-planetpink.blogspot.com

    ResponderExcluir

E chegamos a parte maravilhosa em que vocês participam do blog comigo! Deixe sua opinião sobre o que leu/viu, só com alguns poréns:
- Comentários ofensivos à autora do blog ou outros comentaristas não serão aprovados.
- Comentários preconceituosos ou/e de caráter sexual não serão aprovados.
- Comentários anônimos não serão aprovados, a ferramenta só está ativada pela liberação de comentários com NOME+URL de pessoas não cadastradas no Google, etc.
- Comentários unicamente de divulgação não serão aprovados.
- As respostas serão feitas na página de comentários, em caso de mais urgência, utilize a ferramenta "Contato" na lateral.
Tirando essas pequenas regrinhas, fiquei a vontade! O espaço é de vocês :D Aliás, obrigada pelo comentário!